Início > Notícias > Assembléia da Assufrgs critica Reitor e convoca servidores para lutar pelo plano de saúde
Assembléia da Assufrgs critica Reitor e convoca servidores para lutar pelo plano de saúde

Clique aqui para ver mais fotos Assembléia da Assufrgs realizada sexta-feira (14/8) questionou a falta de compromisso do Reitor com as 17 questões levantadas pela Assufrgs que foram para a mesa de negociação. “Esta mesa de negociação não resolveu nada até agora e só estão nos enrolando. A partir de agora vamos para cima desta [...]

Clique aqui para ver mais fotos

Assembléia da Assufrgs realizada sexta-feira (14/8) questionou a falta de compromisso do Reitor com as 17 questões levantadas pela Assufrgs que foram para a mesa de negociação. “Esta mesa de negociação não resolveu nada até agora e só estão nos enrolando. A partir de agora vamos para cima desta administração”, ressaltou a coordenadora Bernadete Menezes.

A não implementação do plano de saúde por parte da Reitoria também foi criticada. A partir desta assembléia os Servidores irão desencadear um processo de discussão nas unidades para que se crie as condições em que todos tenham acesso a um plano de Saúde.  “O Plano de saúde é uma luta de todos nós e este reitor não atendeu as reivindicações da Categoria”, explicou o coordenador da Assufrgs, Silvio Corrêa.

Para José Luis Rockenbach (Neco) não dá mais para viver desta forma temos que iniciar a briga por um plano de saúde acessível a todos “Temos um hospital de Clínicas e uma Faculdade de Farmácia, não é possível que uma universidade com tantas condições não possa dar assistência para os seus funcionários, vamos chamar uma assembléia específica para discutir plano de saúde”, anunciou Neco.

A aposentada e ex-coordenadora da Assufrgs, Maria de Lourdes Mendonça, foi a assembléia para reclamar da Reitoria que cortou a URP de 50 pessoas aposentadas, uma conquista que já faz 12 anos que ganhamos. “Este pró-Reitor de Gestão de Pessoas, como servidor público não pode mandar cortar 26,04% do contracheque de uma pessoa e nem sequer avisar. Isto é um desrespeito”, criticou. Este índice refere-se a URP de fevereiro de 89, incorporada no contracheque por decisão judicial, transitada em julgado.

No final da assembléia, que contou com a participação dos estudantes e dos funcionários da Assufrgs, o grupo Trilho de Teatro Popular apresentou um esquete sobre a morte do Procurador da UFRGS, Armando Pitrez, que tem sido um obstáculo, que barra as conquistas dos servidores da universidade.
A movimentação para a Assembléia dos servidores realizada sexta-feira (14/8) iniciou as 8h com o tradicional café da manhã.

Após a assembléia os trabalhadores e os estudantes da UFRGS foram em caminhada até a Praça Argentina onde encontraram a caminhada do Dia Nacional de Lutas e pelo Impeachment da Governadora Yeda.

Matéria relacionada
Clique aqui: Trabalhadores e estudantes da Ufrgs participam da caminhada pelo Impeachment de Yeda

Veja também