Início > Notícias > Assembleia de greve aprova delegados ao CNG e hierarquiza pauta dos servidores
Assembleia de greve aprova delegados ao CNG e hierarquiza pauta dos servidores

Servidores em greve realizaram discussões sobre as pautas específicas, bem como denúncias sobre assédio moral nas unidades de trabalho.

Os servidores da UFRGS, UFCSPA e IFRS-POA realizaram assembleia geral de greve, na tarde desta quinta-feira (20), na faculdade de Economia. Em auditório lotado, os servidores debateram os informes do Comando Nacional de Greve da FASUBRA (CNG); informes locais das unidades; hierarquização das pautas de greve;  tiragem de delegados para o CNG; e assuntos gerais.

A Assembleia iniciou com a leitura do Informe de Greve do CNG da Fasubracom discussão sobre os repasses das entidades ao fundo de greve nacionalmente. Também, foi repassado que os servidores técnico-administrativos de 23 entidades estão em greve pelo país. O informe do CNG também relatou a participação na atividade do Fórum dos SPF’s com o dia nacional de lutas, que realizou ato, dia 19, em frente ao MPOG em Brasília. Segundo a coordenadora e diretora da Fasubra, Antonieta Xavier, repassou que foi cobrado do governo a proposta que ficou de apresentar antes do carnaval em relação às pautas dos SPF’s. Segundo a diretora, o governo se desculpou por não ter apresentado a proposta e sinalizou apenas com benefícios ao conjunto dos SPF’s, tais como saúde, alimentação e creche.

 

Dúvidas dos Servidores sobre a Greve

Após a deflagração de greve, os servidores que fazem parte do Comando Local de Greve trouxeram à assembleia algumas dúvidas levantadas nas unidades de trabalho. São elas: Livro Ponto – a ASSUFRGS esclareceu que o livro ponto estará presente nas assembleias durante a greve, e presente na sede central da ASSUFRGS nos demais dias de greve.

Ameaça das chefias – servidores em estágio probatório tem recebido ameaças de que não podem fazer greve. A ASSUFRGS informou que o direito à greve em estágio probatório é constitucional e ficou de publicar parecer jurídico nas unidades informando a legalidade de greve para quem está em estágio probatório.

Prefeitura do Campus Saúde – os servidores denunciaram assedio da direção da Prefeitura do Campus Saúde. Segundo relatos, os trabalhadores terceirizados estão proibidos de conversar com os servidores; do mesmo modo que os servidores estão proibidos de conversar com os terceirizados. Os trabalhadores foram divididos fisicamente no espaço físico da unidade, para que não conversem ou convivam entre si.

 

Após os informes e discussões os servidores realizaram votação para delegados ao CNG e aprovaram:

Hierarquização da pauta específica da FASUBRA, a partir do Piso Salarial e Step e as 30 horas. Dando continuidade, também, às pautas gerais dos SPF’s (política salarial e data-base).

 

Delegados para o Comando Nacional de Greve

Foram inscritas duas chapas para votação:

Chapa 1, nominata: Rafael Berbigier, Izaias, Alexandre Bastos, Ricardo e Sílvio.

Chapa 2, nominata: Luís Rockenbach (Neco), Eva Souza, Tamirez Paim, Rosane Souza e Leonel Maia.

 

107 votos foram para a chapa 1, elegendo dois delegados; e 54 votos para a chapa 2, elegendo um delegado.

Abstenções: 3.

 

 

Reunião da ASSUFRGS com a Reitoria

Os servidores repassaram, ainda, a reunião da nova Coordenação da ASSUFRGS com a reitoria da UFRGS, na manhã de hoje. Foram discutidas as seguintes pautas: situação da Biociências – servidores que pediram remoção da unidade de trabalho por conta do assédio moral, a imposição das 40 horas (sendo que os servidores realizavam 30H) pela Direção da Biociências. Dia 07 de abril haverá reunião do Comando Local de Greve, Coordenação do Sindicato e Comitê de ética da ASSUFRGS, na Biociências para aprofundar a discussão sobre a situação dos trabalhadores. A Pauta será: 30 horas, assédio moral e condições de trabalho. Na reunião com a reitoria, foi discutida, também, a questão da  Creche/Brinquedoteca da UFRGS – garantia de matrícula e permanência aos filhos dos servidores de zero a quatro anos; intensificação do assédio moral pelas chefias nos locais de trabalho por conta da avaliação de desempenho e as 30 horas; questões gerais da pauta de greve específica dos servidores como as 30 horas e a paridade. Carlos Alexandre Netto, reitor da UFRGS, propôs dar retorno sobre a pauta na próxima quinta-feira, depois de realização de reunião com FASUBRA e Andifes. A reunião da reitoria com a ASSUFRGS ficou agendada para próxima quinta (27).

 

Atividade da ASSUFRGS com Andes/Ufrgs

Os servidores da UFRGS participaram na quarta-feira (19) de Audiência sobre Infraestrutura, Saúde e Segurança no Campus do Vale em conjunto com o Andes,os Diretórios e Centros Acadêmicos do Campus do Vale, a Associação de  Pós-Graduandos (APG-UFRGS) e o núcleo do RS da Auditoria Cidadã da Dívida também estiveram presentes. Outros pontos discutidos na Audiência foram: iluminação, espaço de convívio dos estudantes, estrutura física e condições de trabalho para os docentes, paridade e etc. Os organizadores do evento realizarão a síntese do debate da Audiência que deve tirar resoluções e apresentar à Administração Central da UFRGS.

 

O Comando Local de Greve informa que amanhã (21) haverá reunião do Comando, às 14h, no auditório da ASSUFRGS. Venha participar do comando e construir a greve que é de todos nós!

 

Foto Jorge Torres

11 comentários para "Assembleia de greve aprova delegados ao CNG e hierarquiza pauta dos servidores"

  1. talvanis vinicius martins março 20th, 2014 19:52 pm Responder

    Pensionista serao beneficiados

  2. Eugenio, o Ogro, OFS março 20th, 2014 22:18 pm Responder

    Paz e bem!
    —.
    164 votantes,
    se fosse só da UFRGS
    seria cerca de 6,5% da base.
    .
    Parece que a Greve vai ser um sucesso!

    Insisto na pergunta:
    QUEM DA GESTÃO PASSADA
    AUTORIZOU ZERAR O FUNDO DE GREVE?

    1. Eugenio, o Ogro, OFS março 20th, 2014 22:55 pm Responder

      Complementando:
      .
      Já que ouví tantos elogios
      às greves vitoriosoas
      dos Rodoviários (Porto Alegre)
      e dos Garis (Rio)
      .
      Qual o percentual da base destas categorias
      que participou das Assembleias?
      .
      20% ? 30% ?
      .
      Só isto é um valor muitíssimo maior
      do que nossas mirradas Assembleias.

      1. Miguel Ribeiro março 20th, 2014 23:08 pm Responder

        Somente os sem noção se preocupam com percentuais. A velha história: se a cabeça está a cem graus e os pés a zero, o corpo está a 50????? Além disto, quantas bolsas têm estas empresas referidas? Quantos cargos em comissão?

        1. Igor Corrêa Pereira março 23rd, 2014 11:45 am Responder

          “Somente os sem noção se preocupam com percentuais”.

          Quer dizer que não importa o percentual? Então podemos fazer uma greve apesar da categoria?

          Desculpe, mas não há nada mais autoritário (e irrelevante do ponto de vista de resultados) do que esse pensamento.

          1. Antônio março 24th, 2014 11:02 am

            Igor, você é um SOFISTA!!!

            “Sofisma ou sofismo (do grego antigo σόϕισμα -ατος, derivado de σοϕίξεσϑαι “fazer raciocínios capciosos”) em filosofia, é um raciocínio ou falácia se chama a uma refutação aparente, refutação sofística e também a um silogismo aparente , ou silogismo sofístico, mediante os quais se quer defender algo falso e confundir o contraditor” (wikipedia)

        2. Eugenio, o Ogro, OFS março 26th, 2014 15:55 pm Responder

          Se percentuais são irrelevantes,
          logo teremos a GREVE DO EU SOZINHO.

  3. Lavinia Schuler Faccini março 20th, 2014 23:25 pm Responder

    Nao entendo porque 40 horas semanais significa assedio moral. Realmente nao entendo qual o problema de trabalhar 8 horas por dia (eu e quase todos os trabalhadores brasileiros cumprimos esta jornada). TEmos um compromisso moral muito grande com a populacao brasileira que paga nossos salarios. Acredito sinceramente que uma jornada de 40 horas semanais é justa, e um retorno para a Sociedade por parte da Universidade. Quanto ao Biociencias, hoje de manha tivemos reuniao com representantes da ASSUFRGS e nos pareceu ficar muito claro que temos oferecido oportunidades de estagio, crescimento, cursos e oportunidades excelentes para os tecnicos. Estou realmente muito triste pois apenas uma versao foi tomada como verdade. Parte de nossos tecnicos foi vaiada hoje de tarde na assembleia e nao tiveram direito de palavra. Isto, entretanto, nao é considerado assedio. Se ha assedio, que se instale um processo. Lutaremos para que a verdade venha a tona.

    1. Carlos março 24th, 2014 14:18 pm Responder

      Quanto a questão da jornada de 40 horas, provavelmente pessoas que ingressaram na Universidade via CONCURSO PÚBLICO, somente buscam o direito de trabalhar proporcionalmente ao valor que recebem. Desta forma olhando de outro angulo algumas pessoas deveria trabalhar bem mais de 45 horas…. ou seja justificar os valores recebidos em seus cargos, funções gratificadas, direções, pro-reitorias etc…

  4. Rafael ESEF março 25th, 2014 10:26 am Responder

    Alguns pensam que poderão comemorar quando a categoria for derrotada nesta greve. No entanto, essa greve será vitoriosa e os colegas não irão esquecer quem fez parte do “comando de DESmobilização”. Falam em união, mas tudo não passa de teatro para tentar controlar e enfraquecer uma greve na qual militaram contra sua deflagração. Insisto, a categoria não irá esquecer!

    1. Eugenio, o Ogro, OFS março 27th, 2014 14:09 pm Responder

      Paz e bem!
      Como se fosse preciso
      um Comando de Desmobilização…

Deixe seu comentário

Veja também