Início > Notícias > ASSUFRGS e PROGESP discutem situação dos TAES na Universidade
ASSUFRGS e PROGESP discutem situação dos TAES na Universidade

Em reunião nesta quarta (20), os coordenadores da ASSUFRGS e a PROGESP debatem disposição de trabalhadores nas Unidades após a greve e firmam parceria para realização de atividades comuns.

A Coordenação da ASSUFRGS se reuniu com a Pró Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGESP) da UFRGS, na tarde desta quarta-feira (20). Participaram da reunião os coordenadores Antonieta Xavier, Arthur Bloise, Mauro dos Anjos, Carmen Almeida e Mário Serapião; pela PROGESP, Maurício Viegas da Silva e Vânia Pereira.

 Os Coordenadores da ASSUFRGS relataram os problemas de técnico-administrativos que foram colocados à disposição após o termino da Greve, este ano. A PROGESP afirmou que os trabalhadores não foram colocados à disposição devido à greve, pois havia problemas nos locais de trabalho e pedidos de permuta de local. A PROGESP informou que ao haver problemas nos locais de trabalho, eles vão até a unidade para conversar com as chefias a fim de solucionar conflitos. De qualquer forma, a coordenação da Assufrgs criticou os procedimentos, pois estes não poderiam ter sido tratados logo após o fim do movimento paredista, mas quando da constatação dos problemas, com diálogo e a possibilidade de resolução no próprio local de trabalho. Foi informado que a Assufrgs está atenta a estes problemas e reunindo com os servidores.

 

Parcerias firmadas

 

A Progesp enviará a todos os aposentados e pensionistas carta para que atualizem seus dados cadastrais na ASSUFRGS.  Fornecerá ainda as informações necessárias para um estudo de perfil da categoria promovido pelo GT-Carreira da Assufrgs.

 A Assufrgs convidou a Pró Reitoria de Gestão de Pessoas para participar dos seminários sobre Carreira e Reposicionamento dos Aposentados, que serão promovidos pelo sindicato.

 Foi salientado também a importância de manter parceria entre a Progesp e a ASSUFRGS no que tange a seminários e eventos que tratem da vida funcional dos trabalhadores técnico-administrativos da Universidade. A Assufrgs pretende realizar um seminário sobre Assédio Moral, futuramente.

5 comentários para "ASSUFRGS e PROGESP discutem situação dos TAES na Universidade"

  1. Silvio Corrêa - CIS agosto 20th, 2014 18:49 pm Responder

    Saúdo a iniciativa da Assufrgs em buscar o diálogo com a PROGESP e também em promover mais um seminário dobre Assédio Moral, tema recorrente nas relações de trabalho na UFRGS, tanto que já foram editadas, pela Assufrgs, duas cartilhas sobre o tema.

  2. Eugenio, OFS agosto 20th, 2014 19:01 pm Responder

    Paz e bem!
    .
    Como ja foi informado
    que este site é sob WordPress,
    assim como era o site de greve.
    Pois no site da greve
    que era gratuito
    podíamos assinar os comentários
    e aqui no site da AssufrgS
    em que pagamos
    não temos este serviço.
    .
    Se pagamos,
    basta a Coordenação de Imprensa
    dar um DE ORDEM
    para que implementem o serviço
    e se não cumprirem
    troque-se de empresa
    que mantém o site.

  3. Paulo Antoniolli agosto 21st, 2014 09:41 am Responder

    Faço coro à saudação da iniciativa da Assufrgs em realizar um seminário sobre assédio moral. Infelizmente, isso se faz necessário, DE NOVO! Tal proceder se tornou extremamente comum nessa Universidade, seja de forma explícita ou velada. A própria administração central tem em seu DNA administrativo esse ranço. Sei, por experiência própria. Corroborada com exemplos apresentados por outros colegas.

    O que aconteceu após a greve, relatado acima, esboça claramente essa tendência, mesmo com a Progesp tentando desmentir.

    Quanto à citada importância de manter parceria com a progesp, para seminários e eventos, no meu entender, não sei em que isso possa ser útil. Visto que as diretivas da administração central são, via de regra, contrárias aos servidores técnicos administrativos(e também contrárias às aspirações dos alunos), isso enseja um caráter reacionário, subalterno e adulador de chefias ou, então, alienado das questões humanitárias do trabalhador e do estudante, oportunizando daí, o assédio moral. A situação dos servidores colocados à disposição após o final da greve, bem demonstra isso. Quanto aos pretensos desmentidos, tudo não passa de “farisaísmo progespiano” .

    Espero que o seminário sobre assédio moral não demore para acontecer. Tomara que a ideia, que é boa, não morra na casca.

  4. talvanismartins agosto 21st, 2014 09:52 am Responder

    Gostaria de saber se verá Maria Medeiros rocha tem direito sobre ação dos quintos

  5. talvanismartins agosto 21st, 2014 13:29 pm Responder

    Eu quero me as sósia a assufrgs como faço sou de passo fundo

Deixe seu comentário

Veja também