Início > Notícias > Bancários criticam vendas de ações do Banrisul
Bancários criticam vendas de ações do Banrisul

Funcionários do Banrisul vestem roupa preta nesta terça em todo o Estado, em sinal de luto pela venda das ações da estatal. As ações preferenciais do banco serão comercializadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) assim que as atividades iniciarem, às 8h30min da manhã.

Funcionários do Banrisul vestem roupa preta nesta terça em todo o Estado, em sinal de luto pela venda das ações da estatal. As ações preferenciais do banco serão comercializadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) assim que as atividades iniciarem, às 8h30min da manhã. A governadora Yeda Crusius e o secretário da Fazenda, Aod Cunha, participam da cerimônia que marca a entrada do Banrisul no chamado Nível 1 de Governança Corporativa, um segmento do mercado financeiro.

Além de vestir roupa preta, os bancários realizam ato público em frente à sede do banco na Capital gaúcha, e um protesto na frente da Bovespa, na capital paulista. O secretário-geral do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, Fabio Soares, reclama da decisão da governadora em vender as ações antes das votações necessárias na Assembléia Legislativa.

"A Assembléia está saindo do recesso nesta semana e ela [governadora], atropelando, encaminhou a venda das ações sem a autorização dos parlamentares e a votação dos fundos previdenciários. A Lei de Responsabilidade Fiscal proíbe que as vendas sejam vendidas e depois jogadas no fluxo de caixa do governo. Parece que existe toda uma pressa do governo em vender antes que a Assembléia volte a funcionar", diz.

O governo afirmou nesta segunda que o dinheiro será guardado até que os fundos previdenciários sejam votados, o que deixa os bancários temerosos. Fábio lembra que o ex-governador Antônio Britto fez a mesma afirmação quando vendeu a Companhia Riograndense de Telecomunicações (CRT), em 1997. No entanto, o fundo previdenciário para o Magistério, uma das promessas de Britto, nunca existiu.

O sindicalista também contradiz o argumento da governadora Yeda, de que a venda das ações preferenciais não são um perigo para o banco, já que não dariam direito a voto.

"Só que esse tipo de ação abre o Conselho de Administração do Banrisul, onde se abre 20% para os acionistas minoritários ocuparem lugares. No Conselho, é onde se dá a diretriz política, de que forma o banco irá evoluir ao longo dos anos", diz.

Devido à instabilidade por que passa o mercado financeiro, as ações do Banrisul devem ficar em torno de R$ 12 cada, preço abaixo do estimado. Serão vendidas quase 174 mil ações para a iniciativa privada, que corresponderão a mais de R$ 2 bilhões. Desse valor, o governo do Estado ficará com R$ 1,3 bilhão e, o banco, com R$ 800 milhões.

O Banrisul é o 12º banco mais rentável do Brasil.

Fonte: Raquel Casiraghi/Agência Chasque

Veja também