Início > Notícias > Boris Casoy e a discriminação do trabalho manual na tela da Band
Boris Casoy e a discriminação do trabalho manual na tela da Band

Durante a última edição do Jornal da Band de 2009, realizado pela emissora de televisão paulistana Bandeirantes, o apresentador Boris Casoy tropeça em um problema técnico e expõe em um comentário atroz o preconceito que tem contra trabalhadores que supostamente não são qualificados como ele acha que é. Encerrado um dos trechos do noticiário, um [...]

Durante a última edição do Jornal da Band de 2009, realizado pela emissora de televisão paulistana Bandeirantes, o apresentador Boris Casoy tropeça em um problema técnico e expõe em um comentário atroz o preconceito que tem contra trabalhadores que supostamente não são qualificados como ele acha que é.

Encerrado um dos trechos do noticiário, um problema técnico fez com que o apresentador Boris Casoy permanecesse no ar e ao vivo, inadvertidamente. O jornal tinha apresentado esquetes com profissionais desejando feliz ano novo aos telespectadores do noticioso.

Casoy tira sua máscara de apresentador e dispara: "Que m… Dois lixeiros desejando felicidades do alto das suas vassouras. Dois lixeiros! O mais baixo da escala do trabalho". Quase ao mesmo tempo alguém, da técnica, grita, avisando que o áudio estava indo ao ar.

Embora acostumado a dezenas de anos de trabalho na televisão, Casoy foi atropelado por um problema técnico corriqueiro, que de vez em quando atira aos ouvidos e olhos dos telespectadores certos comentários preconceituosos de um ou outro apresentador descuidado, que se imagina protegido pelo "off" de vídeo e áudio após a apresentação do programa.

Nos tempos de Internet, a tirada de máscara do apresentador vazou para o YouTube e provocou a indignação de mais alguns milhares de pessoas. Casoy teve de engolir para si nesta sexta-feira seu próprio bordão, quando diz "isso é uma vergonha".

A assessoria da TV Bandeirantes foi procurada pela mídia sobre o ato preconceituoso, respondendo por e-mail que "Ouvido a respeito do assunto, Boris Casoy reconheceu que a frase foi infeliz, ofensiva aos garis, e hoje, no jornal, vai pedir desculpas". O que fez no Jornal da Band do primeiro dia de 2010.

Clique aqui e veja o vídeo do you tube

Sindicato dos garis entrega carta em repúdio a Boris Casoy

O diretor do Siemaco (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços) Elmo Nicácio entregou ontem à TV Bandeirantes uma carta de repúdio ao jornalista Boris Casoy, que no último dia 31 fez uma declaração que ofendeu os garis. Casoy pediu, um dia depois, desculpas ao vivo pelo ocorrido.

"Não aceitamos desculpas do apresentador, que foram meramente formais ao ser pego ao manifestar o que pensa e que, infelizmente, reforça o preconceito de vários setores da sociedade contra os trabalhadores garis e varredores, responsáveis pela limpeza da nossa Capital", diz a carta.

"O esforço que trabalhadores e trabalhadores fazem, apesar de enfrentarem atitudes preconceituosas como as expressas por Boris Casoy, muito nos orgulha, pois sabemos que somos integrantes da saúde pública da nossa querida São Paulo", completa o texto da entidade.

Histórico – No fim de uma reportagem, dois garis desejaram um feliz Ano-Novo aos telespectadores. Em seguida, sem saber que o áudio estava no ar, Casoy fez o seguinte comentário: "Que ”m…”, dois lixeiros desejando felicidades do alto das suas vassouras… Dois lixeiros, o mais baixo da escala de trabalho".

Por Humberto Alencar,
De São Paulo

Veja também