Início > Notícias > Começou a mesa de negociação da Assufrgs com a Reitoria
Começou a mesa de negociação da Assufrgs com a Reitoria

A primeira reunião de negociação realizada na sexta-feira (12/6) com a Reitoria terminou sem medidas concretas, mas com alguns encaminhamentos para a próxima semana. A mesa de negociação foi instituída na semana passada pelo Reitor, e na ocasião a Assufrgs levantou 17 itens para discussão. As reuniões ocorrem uma vez por semana até esgotar os assuntos.

Nesta sexta-feira (12/6) estava na pauta os exames periódicos, os planos de saúde e as práticas antisindicais na Prefeitura do Campus Vale. Estavam presentes pela Reitoria o pró-reitor de Gestão de Pessoas, Maurício Viegas da Silva, a vice pró-reitora, Vânia Cristina Santos Pereira e o chefe de gabinete do Reitor, João Roberto Mello. Pela Assufrgs estavam presentes os coordendores Silvio Corrêa, Bernadete Menezes e Fabiano Porto e a assessora jurídico, Valnez Bitencourt.

Sobre os exames periódicos foi informado que já existe uma comissão que na próxima semana irá encaminhar como serão realizados. A modalidade de Contrato segundo a Reitoria fracassou depois do quinto pregão sem resultados. No dia 10 foi aberto o pregão eletrônico e a Unimed foi a única empresa que apresentou proposta, no entanto diante do valor proposto não foi aprovado. A Unimed propôs um plano de R$ 463 por pessoa e R$ 600 no caso com internação em leito privativo. A Assufrgs apresentou a proposta de manutenção do ressarcimento para quem já tem proposto e a realização de convênios para aqueles que não têm lano de saúde, que será levada para a reunião da Reitoria que ocorre na semana que vem para discutir as alternativas possíveis diante das licitações infrutíferas.

O ponto mais delicado foi em relação a situação dos dois servidores que foram transferidos de maneira compulsória do Campus do Vale para a Esef, no final de maio. A Assufrgs questionou a forma como foi feita a transferência, tendo em vista que não se caracterizou por uma questão técnica, já que ambos fazem parte do setor melhor avaliado em todo o Campus Vale e além disto são representantes sindicais.
O pró-reitor Maurício disse que a Administração sempre respeitou as demandas sindicais, o chefe de gabinete Mello ressaltou que diante desta situação, que envolve questões políticas, irá conversar novamente com o pró-reitor de Infraestrutura, Alberto Tamagna.

Para a próxima semana além do retorno das discussões de hoje (plano de saúde e práticas antisindicais), será debatido o Plano de Carreira, que envolve os itens 5, 6 8, 10, 1, 14 e 16 da pauta inicial.

5. A implementação pela Progesp de todas as decisões do CONSUN referentes ao enquadramento dos servidores técnico-administrativos em educação no PCCTAE;
6. Apresentação a todos os Diretores e chefias e demais membros da comunidade universitária do Programa de Avaliação de Desempenho;
8. Empenho da administração central nas instâncias em que atua como representante dos servidores técnico-administrativos em educação (ANDIFES, MEC e MPOG), buscando a solução dos problemas do PCCTAE;
10. Discussão dos critérios do Programa de Dimensionamento e mobilidade dos servidores técnico-administrativos em educação;
13. Implementação de cursos de educação formal, ensino médio, graduação e pós-graduação, com reserva de vagas para os servidores técnico-administrativos em educação nos moldes do convênio firmado com o Banco do Brasil;
14. Parceria da área de gestão de pessoas com a CIS e a Assufrgs visando aproveitar os conhecimentos acumulados, na capacitação dos técnico-administrativos em educação;
16. Morosidade da procuradoria geral em emitir pareceres relativos a assuntos de interesse dos servidores técnico-administrativos em educação como, por exemplo, no caso do parecer da UFF.

Veja também