Início > Notícias > Comissão Técnica da Colônia de Férias em Garopaba é instituída na ASSUFRGS
Comissão Técnica da Colônia de Férias em Garopaba é instituída na ASSUFRGS

A Coordenação da ASSUFRGS instaurou a nominata da  Comissão Técnica  da Colônia de Férias em Garopaba, SC, dia 12 de março. São atribuições da Comissão Técnica:  analisar o portfólio e patrimônio da empresa, além do memorial descritivo que trata dos materias a serem utilizados na construção e sua idoneidade conforme constam os documentos no quadro [...]

A Coordenação da ASSUFRGS instaurou a nominata da  Comissão Técnica  da Colônia de Férias em Garopaba, SC, dia 12 de março.
São atribuições da Comissão Técnica:  analisar o portfólio e patrimônio da empresa, além do memorial descritivo que trata dos materias a serem utilizados na construção e sua idoneidade conforme constam os documentos no quadro ao lado.   
Fazem parte da Comissão Técnica os seguintes membros:  Hélio Ernani D’Ávila, Maria Laura Martins Scheidemandel,Miguel Ângelo Ribeiro de Ribeiro, Rui Paulo Dias Muniz e Silvia Fernanda Peçanha Martins.
A primeira reunião da Comissão Técnica aconteceu dia 16 de  março, na sede da ASSUFRGS, os representantes avaliaram a procedência do material encaminhado pelas empresas que estão concorrendo ao edital para Construção dos novos apartamentos na Colônia de Férias em Garopaba-SC.
Na reunião ficou definido pela Comissão que serão realizadas entrevistas com profissionais da área para selecionar um profissional que analise junto a Comissão todo o material em discussão.

A Coordenação deliberou:
As empresas participantes deverão possuir patrimônio igual ou superior ao valor da construção.

Documetos exigidos:
1 – Certificado de Regularidade do F.G.T.S.- CRF, expedida pela Caixa Econômica Federal;
2 – Certidão negativa de débito, expedida pelo I.N.S.S. – Instituto Nacional de Seguridade Social;
3 – Certidão negativa de débito em relação a tributos e contribuições federais, expedida pela Receita Federal;
4 – Certidão negativa de débito quanto a dívida ativa da União, expedida pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional;
5 – Certidão negativa de débito em relação a tributos estaduais, expedida pela Secretaria da Fazenda Estadual, do Estado sede da licitante;
6 – Certidão negativa de débito em relação a tributos municipais, expedida pela Prefeitura Municipal, do Município sede da licitante.

 

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também