Início > Notícias > Confira o informe do IV Encontro Nacional de Negras e Negros da Fasubra
Confira o informe do IV Encontro Nacional de Negras e Negros da Fasubra

Confira o informe do IV Encontro Nacional de Negras e Negros da Fasubra

O IV Encontro foi um sucesso, participaram 78 militantes e simpatizantes da questão Étnico Racial, 17 entidades da base da Fasubra, além de oito coordenadores da Federação. Todos contribuíram para que os objetivos fossem alcançados. Nossa base mais uma vez foi a grande responsável pelo êxito do evento, que deixará triste quem não pode vir e felizes quem participou, orgulhosos por terem integrado este importante encontro. A Assufrgs foi a maior delegação, com 10 representantes da categoria.

Contamos com a participação de algumas entidades nacionais que vieram trazer a sua contribuição ao Encontro: CNCDR/CUT, MNU (Movimento Negro Unificado), UNEGRO (União de Negros pela Igualdade), UNE (União Nacional dos Estudantes) Andes/SN, CNTE, Sinpro/DF, Sindjus/RS. Pela primeira vez tivemos a participação da representação do governo federal, com os seus dois principais órgãos que elaboram políticas afirmativas para o governo Lula (SEPPIR – Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – e a SECAD/MEC – Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade), trazendo a discussão das Políticas Públicas e Ações de Estado.

Este encontro foi mais um marco em nossa federação, muitas caras novas tiveram presentes, o que demonstra a importância deste debate e nos leva a ousar nas formulações, reiterando os compromissos e objetivos. Reafirmamos a necessidade de organizar e capacitar os Técnico-Administrativos em Educação nas Universidades Brasileiras na busca de uma sociedade justa fraterna e igualitária, na construção do acesso ao conhecimento e do saber, onde teremos que criar instrumentos que serão disponibilizados a todos os trabalhadores para que possamos transformar a história, escrita, falada, televisada, etc.

O projeto de Universidade Cidadã para os Trabalhadores foi apontado em nosso encontro como o material que precisa ser difundido entre os Técnico-Administrativos, como forma de balizamento desta construção, para disputarmos um projeto para toda a sociedade na busca de interlocução com as demais organizações de classe. Lembramos que a Fasubra sempre afirmou a importância de tratarmos o acesso e a permanência da população afro-brasileira e dos excluídos na Universidade Pública, além das melhorias no Ensino Fundamental e Médio em nosso país.

Este encontro indicou uma série de propostas que em breve serão disponibilizadas para toda a categoria, apresentando assim o que foi discutido e consensuado como um indicativo para a Direção da Fasubra, que analisará e remeterá à base para que seja objeto de apreciação/aprovação em Plenária e no próximo Confasubra.

Sabemos que a luta dos Técnico-Administrativos que militam para exterminar com qualquer forma de discriminação nunca parou, ela se mantém viva e atuante, além de nos deixar orgulhosos ao verificarmos a continuidade da luta em nível nacional.

Os participantes do encontro avaliaram que devemos, mais do que nunca, intensificar a luta na busca da igualdade étnico-racial, combatendo sem trégua todas as formas de intolerância religiosa e pelo direito à orientação sexual. Investir na formação dos militantes e simpatizantes, na questão da nossa afro-descendência e apoiar os projetos governamentais que busquem diminuir as desigualdades em nosso país. Devemos orientar as nossas entidades a mobilizar os trabalhadores pela aprovação do Estatuto pela Igualdade Racial, que a direita busca não aprová-lo.

Aqui ficam registrados dois momentos de profunda emoção dos participantes, onde de mãos dadas cantamos a música que se tornou o hino das marchas realizadas por mulheres e homens negras (os) e simpatizantes desta luta: “Um sorriso negro; Um abraço negro, traz felicidade; Negros sem emprego, fica sem sossego; Negro é a raiz da Liberdade". Esta música, eternizada na voz de Jovelina Pérola Negra, expressa o grande sonho, não só de Negras e Negros, mas de todos aqueles que buscam uma sociedade justa, fraterna, igualitária para todos os povos. E do Poema recitado por uma companheira da base, do Sind-Ifes/BH, Marina Evangelista, em homenagem ao José Preto: “Bala Perdida”. Estes são momentos de profunda evolução para cada um de nós.

AXÉ
Valeu irmãs e irmãos que já não estão entre nós, Nossa Homenagem.
Caminhem no Andar de Cima, sempre Nos Olhando…

Obs: O Relatório final chegará às entidades em breve.

Coordenação de Políticas Sociais e Anti-Racismo da Fasubra 

Veja também