Início > Notícias > CONSUN da UFRGS discute ações afirmativas
CONSUN da UFRGS discute ações afirmativas

Os integrantes do Conselho Universitário reuniram-se na sexta-feira, dia 20, para analisar o relatório elaborado pela Comissão Especial de Avaliação do Programa de Ações Afirmativas da UFRGS. O parecer propõe a prorrogação da Programa por mais dez anos e sugere a ampliação da reserva de vagas de 30% para 40%. O processo está em discussão [...]

Os integrantes do Conselho Universitário reuniram-se na sexta-feira, dia 20, para analisar o relatório elaborado pela Comissão Especial de Avaliação do Programa de Ações Afirmativas da UFRGS. O parecer propõe a prorrogação da Programa por mais dez anos e sugere a ampliação da reserva de vagas de 30% para 40%. O processo está em discussão porque a resolução que instituiu a reserva de vagas em 2007 tinha duração de cinco anos.

Estudantes mobilizados por ampliações no programa realizaram uma vigília durante toda a noite. Na manhã da última sexta, dia 20, os conselheiros que chegavam à reunião deparavam-se com um corredor organizados pelos estudantes, com a participação de técnico-administrativos, que pedia avanços no sistema de cotas.

Na reunião do conselho, após a leitura do parecer pelo presidente da Comissão, José Vicente Tavares, foi aberto espaço para as intervenções dos conselheiros. Logo no início, a discente Nina Becker manifestou que haviam incoerências entre a proposta discutida pela comissão de avaliação e o relatório final apresentado pelo presidente. Segundo ela, alguns dos pontos mais discutidos não foram contemplados, como a desvinculação das cotas sociais das raciais, a exclusão de escolas que realizam processo seletivo no ingresso e a instituição de ações de permanência relativas à assistência a ao ensino específicas para os estudantes cotistas.

 Divergências – A conselheira Nina pediu vistas ao processo, citando o apoio do DCE da UFRGS, da ASSUFRGS e da Associação dos Pós-graduandos. Outros 26 conselheiros fizeram o pedido de vistas ao processo. Claramente, há pontos de vista diferentes com relação ao sistema.

Os conselheiros terão um período de 10 dias para apresentar novos pareceres com as propostas de alteração no Programa de Ações afirmativas da UFRGS. Essas propostas serão analisadas e votadas pelo conselho no dia 03 de agosto. Rui Oppermann expressou sua preocupação, uma vez que o Programa se extingue neste ano e que o atraso na aprovação das alterações poderia acarretar o adiamento do vestibular.

 

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também