Início > Notícias > Datamídia acompanhará cobertura da mídia impressa nas eleições
Datamídia acompanhará cobertura da mídia impressa nas eleições

A imprensa brasileira conta, desde terça-feira (25), com um novo espaço de observação e reflexão. Projeto desenvolvido por estudantes de jornalismo da PUCRS, com apoio do FNDC e da Fundação Friedrich Ebert, monitorará o noticiário dos cinco maiores jornais brasileiros em relação à campanha presidencial.

A imprensa brasileira conta, desde terça-feira (25), com um novo espaço de observação e reflexão

Projeto desenvolvido por estudantes de jornalismo da PUCRS, com apoio do FNDC e da Fundação Friedrich Ebert, monitorará o noticiário dos cinco maiores jornais brasileiros em relação à campanha presidencial.

Centrado na produção dos cinco jornais de maior circulação do país durante 5/7 e 1º/10, o projeto Datamídia vai investigar a cobertura jornalística feita para as eleições presidenciais 2006. “A idéia é catalogar e analisar todas as matérias jornalísticas publicadas que citem os candidatos à presidência da república e seus partidos ou coligações”, disse o professor e coordenador-geral do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Celso Augusto Schröder, responsável pelo projeto. Apoiado pelo Fórum e pela Fundação Friedrich Ebert (FES), o trabalho foi desenvolvido a partir de uma iniciativa de estudantes de jornalismo da Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da PUCRS.

Os jornais Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, O Globo, Zero Hora e Correio do Povo já estão sendo diariamente submetidos aos métodos determinados pelo projeto “A Mídia nas Eleições – Metodologia para monitoração dos resultados da produção editorial da mídia sobre processos eleitorais”. Desenvolvidos em 1999 pelos pesquisadores Christa Berger, Daniel Herz, Fernando de Almeida Sá, Maria Immacolata Vassalo de Lopes e Victor Gentilli para a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), a Federação Internacional dos Jornalistas (Fij) e o FNDC, os critérios dão conta das dimensões das matérias, temas e da tonalização – positiva, negativa ou neutra – de cada um dos atores citados.

Desvendar a cobertura

Para Schröder, pesquisas desta natureza são importantes para o FNDC porque reúnem dados quantitativos que auxiliam no desvelamento da produção de comunicação do país. Conforme o professor, os dados empíricos trarão subsídios que auxiliem na compreensão dos resultados da mídia nacional. “Queremos identificar cientificamente os fenômenos de cobertura da nossa imprensa”, disse a coordenadora do Curso de Jornalismo da Famecos, Cristiane Finger. A jornalista destaca a relevância de investigar o comportamento da imprensa diante de um fenômeno tão importante para o país como a eleição presidencial, e cuja cobertura costuma ser motivo de grande polêmica.

“É importante fortalecer um nexo entre a vida do país e a academia”, complementou Schröder, salientando que não há comprometimento partidário na iniciativa.

Primeiro passo

“A Famecos quer investir agora em projetos de pesquisa que envolvam os professores e alunos da graduação”, disse Cristiane Finger. Conforme a professora, a Faculdade sempre teve larga tradição em pesquisa, mas sempre centrada na área de pós-graduação. “Nossa idéia é de que o projeto continue”, destaca a coordenadora, assinalando a criação de uma disciplina eletiva, já incorporada no currículo novo do curso, chamada “Estudos Comparados de Mídia” e que vai dar suporte ao projeto.

Ministrada pelo professor Schröder, a disciplina inicia agora durante as eleições, mas deve acompanhar outros temas daqui para frente. “Os dados são públicos e estão disponíveis para quem quiser utilizar”, acrescentou o professor. Os dados deverão ser expostos em relatórios semanais, sempre acrescidos de um comentário produzido por Schröder em colaboração com os alunos-pesquisadores do projeto.

Fonte: http://www.datamidia.fndc.org.br

Veja também