Início > Notícias > 12/03: Ato pela democracia e por direitos. Em defesa da PETROBRAS e contra o arrocho
12/03: Ato pela democracia e por direitos. Em defesa da PETROBRAS e contra o arrocho

Assufrgs, Movimentos sociais e centrais convocam Ato Unitário em defesa da democracia e dos direitos. Em defesa da PETROBRAS e contra o arrocho. Maioria das capitais e grandes cidades deverão ter atos entre os dias 12 e 13 de março. Na Região Metropolitana de Porto Alegre, Ato inicia às 07h na REFAP em Canoas. Depois, haverá concentração no Glênio Peres a partir das 10h.

A Assufrgs conclama as/os colegas trabalhadoras e os trabalhadores, militantes e dirigentes gaúchos para realizar um grande ato estadual em defesa da democracia e direitos, da Petrobrás, da Reforma Política e contra as medidas de arrocho.

As mobilizações começarão às 7h, na Refap (Canoas), convocada pela CMS. Em Porto Alegre, às 9h, em frente a Prefeitura, estarão concentrados os companheiros/as convocados pela Intersindical, Conlutas e DCE da UFRGS, Simpa e Fenajufe que irão em passeata até o Palácio Piratini. Às 10h, haverá uma concentração no Largo Glênio Peres, no centro da capital, de onde sairá uma caminhada, às 12h, rumo à Praça da Matriz.

Pautas

A defesa da Petrobrás, empresa que corresponde a 13% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional é fundamental para o país. O petroleiro Darcy Beck afirmou recentemente em paralisação da Assufrgs que está por trás do bombardeio a PETROBRÁS o controle do pré-sal, que colocou o país na ‘primeira divisão’ dos países exportadores de petróleo. Assim como Venezuela, Rússia, Irã e Iraque, estamos na mira do imperialismo.

Outra bandeira é o fim do patrocínio privado das campanhas eleitorais. Está na gaveta do Ministro Gilmar Mendes do STF a ação direta de inconstitucionalidade que proibe o financiamento das eleições por empresas, com o argumento de que empresa não é povo, portanto não pode influenciar na composição do poder, já que a Constituição diz que “todo o poder emana do povo”. Com 6 votos favoráveis, a ADIN está engavetada por iniciativa de Mendes, é preciso pressionar para que Mendes devolva o processo para dar continuidade a votação da ADIN.‪#‎DevolveGilmar ‪#‎EmpresaNãoVota!

O fim das Medidas Provisórias (MP´s) 664 e 665, que alteram direitos da classe trabalhadora, também é uma das questões centrais. Os movimentos do Brasil estão em alerta desde que foram editadas pelo governo Dilma, em 30 de dezembro de 2014.

Por isso, aqui no RS, a classe trabalhadora irá às ruas defender a Petrobrás a democracia e contra o Arrocho.

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também