Início > Notícias > Dia de Lutas – Alto preço dos alimentos gera protesto em Porto Alegre
Dia de Lutas – Alto preço dos alimentos gera protesto em Porto Alegre

Cerca de 600 agricultores, sem terra e trabalhadores urbanos protestaram na manhã desta quinta-feira (16) em frente ao supermercado Nacional, em Porto Alegre (RS), contra o alto preço dos alimentos. Os manifestantes chegaram em torno das 9h no local e realizaram um ato público em frente ao supermercado, localizado na rua da República, no bairro [...]

Cerca de 600 agricultores, sem terra e trabalhadores urbanos protestaram na manhã desta quinta-feira (16) em frente ao supermercado Nacional, em Porto Alegre (RS), contra o alto preço dos alimentos. Os manifestantes chegaram em torno das 9h no local e realizaram um ato público em frente ao supermercado, localizado na rua da República, no bairro Cidade Baixa. Depois de 30 minutos, saíram em caminhada para o salão da Igreja da Pompéia, no Centro, onde participaram de um seminário sobre a crise dos alimentos.

O presidente da Federação dos Metalúrgicos do estado, Milton Viário, explica que o protesto em frente ao Nacional, da rede norte-americana Wal-Mart, serviu para denunciar quem ganha com a alta dos preços dos alimentos. De acordo com o sindicalista, o aumento dos preços se deve à especulação de transnacionais e de empresários no mercado internacional. Levantamento do DIEESE aponta que entre Janeiro de 2007 a Julho deste ano os preços subiram em média 23%. O feijão, um dos produtos que mais encareceu, teve um aumento de 151%, com o quilo chegando a R$ 5,00 em alguns supermercados gaúchos.

"Entre a produção e o consumo existe um pequeno grupo de empresários e de grupos econômicos que fazem a especulação com o preço. Porque o produtor recebe muito pouco pelo que produz e quem paga na cidade, paga muito caro. Não há desabastecimento de alimentos, por exemplo, que justificasse a alta de preço dos alimentos. O que há é agiotagem desses grupos como o Nacional, do Wal-Mart, do BIG e demais", analisa.

O protesto e o seminário integram as atividades do dia 16 de Outubro, marcado pelos movimentos sociais do campo, entre eles a Via Campesina, como o Dia Internacional de Luta pela Soberania Alimentar. Demais atividades ocorreram nesta quinta-feira em outros estados, entre eles o Ceará, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Pernambuco. No Rio Grande do Sul, as atividades também integraram a 13ª Marcha dos Sem, organizada por sindicatos e movimentos sociais e que tradicionalmente ocorre todos os anos.

Reportagem: Raquel Casiraghi
Agência Chasque


Veja também