Início > Notícias > Domingo no Brique Cuidando da Universidade que queremos para nossos filhos
Domingo no Brique Cuidando da Universidade que queremos para nossos filhos

O domingo ensolarado e frio do dia 03/07 foi marcado pela ação de diálogo do Comando de Greve com a comunidade no Brique da Redenção. Desde às 10h até às 16h a banca da greve próximo ao memorial da FEB e em frente ao Colégio Militar apresentou atividades diversificadas para a população, como a exposição [...]

O domingo ensolarado e frio do dia 03/07 foi marcado pela ação de diálogo do Comando de Greve com a comunidade no Brique da Redenção. Desde às 10h até às 16h a banca da greve próximo ao memorial da FEB e em frente ao Colégio Militar apresentou atividades diversificadas para a população, como a exposição de negros e negras da UFRGS, aconselhamento a donos de animais de estimação feito por técnicos da Veterinária da UFRGS, e distribuição de balões com o slogan da greve a crianças que circulavam no Parque. A atividade divulgou ainda o grande Ato quer ocorrerá na terça-feira, dia 05/07, reunindo várias entidades do Serviço Público Federal.

Negros e Negras que constróem a UFRGS

A exposição fotográfica realizada pelo GT Antirracismo da AssufrgS na época da aprovação das cotas na Universidade pôde ser visualizada no domingo no Brique da Redenção. A ideia da exposição foi a de responder a uma pichação que foi feita na Universidade a época da discussão da implementação das cotas etnicorraciais de que lugar de negro era na cozinha. As fotos mostram técniocos e técnicas que constróem vários setores da Universidade, desde a Reitoria, passando por laboratórios, secretarias e outros setores.

O trabalho dos técnicos na Redenção

O técnico do Hospital de Clínicas Veterinárias da UFRGS Fábio Teixeira esteve presente aconselhando donos de animais de estimação para demonstrar o valor do trabalho realizado por estes técnicos na Universidade. Segundo ele, o atendimento ao público, os estágios e a organização interna do Hospital de Clínicas Veterinárias da universidade, fundado em 1954, são historicamente realizados por médicos veterinários técnicos-administrativos. "Embora servidores docentes recentemente também atendam ao público, a rotina pedada de 20000 atendimentos por ano do Hospital é feita por médicos veterinários técnicos, resdidentes e pós-graduandos", explica. Para um das organizadoras da atividade na Redenção Thaís Aragão, a exposição demonstrou a população o valor do trabalho feito pelos técnicos na Universidade. "Nosso trabalho presta um serviço a sociedade que estamos em greve para que seja valorizado adequadamente. É isto que estamos demonstrando na Redenção" afirma.

Cuidando da Universidade que queremos para nossos filhos

Os técnicos ainda distribuíram balões amarelos com os dizeres "Cuidando da Universidade que queremos para nossos filhos", às crianças geralmente acompanhadas por familiares que passeavam pelo Parque da Redenção. A idéia da iniciativa foi a de demonstrar o vínculo que existe entre a greve dos técnico-administrativos e a sociedade em geral. "É difícil achar quem não queira uma Universidade pública de qualidade para si e para seus filhos e pessoas queridas. Quem constrói essa qualidade em boa parte são  os técnicos. e estamos em greve pela valorização do nosso trabalho, que é útil para toda a sociedade" argumenta Charles Almeida, um dos idealizadores das ações sociais de sensibilização para a greve. A atividade divulgou ainda o Ato que ocorrerá na terça-feira dia 07/06 em Porto Alegre, reunindo entidades do Serviço Público Federal.

Texto de Igor Corrêa Pereira

Fotos: Daniele Maciel e Igor Corrêa Pereira 

Veja também