Início > Notícias > Encontro irá debater o controle de jornada dos técnico-administrativos da UFRGS
Encontro irá debater o controle de jornada dos técnico-administrativos da UFRGS

Encontro irá deliberar qual será o modelo que a categoria apresentará para a Reitoria como alternativa para o acompanhamento da jornada e frequência dos servidores.

No dia 06 de setembro, terça feira, às 14h, ocorre na sala Pantheon do Campus do Vale o encontro que irá debater o controle da jornada de trabalho dos técnico-administrativos da UFRGS.

Conforme deliberação da assembleia da categoria, realizada no dia 31 de agosto, os TAEs irão discutir os problemas do sistema imposto pela Reitoria através de login e qual deverá ser o modelo adequado de acompanhamento da jornada e frequência dos servidores. A ideia é apresentar a proposta para a administração da Universidade ainda em setembro. 

Mobilização contra o Login

A categoria está lutando por um controle de jornada adequado para a universidade e é contra o sistema de controle eletrônico imposto pela Administração da UFRGS. A Reitoria alega que está cumprindo uma decisão do Ministério Público Federal, mas o que o órgão recomendou foi a adoção do ponto eletrônico biométrico. A UFRGS decidiu adotar um sistema criado pela própria Universidade, que utiliza o número de matrícula e senha (login). Esse controle de jornada foi implementado às pressas, sem regulamentação, sem cumprimento de normas e sem debate com a comunidade acadêmica.

Salientamos para toda a comunidade que os computadores implantados pela UFRGS para funcionar como ponto eletrônico nunca poderiam ser utilizados. Isso porque a portaria nº 1510 do Ministério do Trabalho determina uma série de requisitos para o ponto eletrônico, requisitos que não são cumpridos pelo sistema criado pela Reitoria. Esse é um dos principais motivos pelos quais não reconhecemos esse sistema como um ponto eletrônico e é inclusive o motivo da ação judicial impetrada pela Assufrgs, contra a UFRGS. Não somos contrários a um controle de frequência, desde que seja negociado, seguro e auditável.

A Reitoria vem implementando um instrumento de assédio moral para cima dos técnico-administrativos, pois não existe uma mínima normatização sobre como deve funcionar o sistema de login. As chefias realizam cobranças de forma subjetivas diante da ausência de normatização. Não existe nenhuma padronização sobre as compensações ou saldo de horas. As orientações são inventadas de acordo com cada setor e variam o “humor” de cada representante da administração.

Além disso, a imposição desse controle eletrônico prejudica os serviços prestados pelos técnicos na UFRGS. As atividades que desenvolvemos na Universidade são muito diversas: atendimentos em secretarias, auxílio em aulas nos laboratórios com manejo de máquinas que requerem atenção ininterrupta; atividades nos hospitais e clínicas que funcionam sete dias por semana, sem intervalos; cuidado com animais e plantações (como ocorre no Ceclimar, Estação Experimental e Hospital Veterinário; veículos de comunicação, cinema, Planetário, atendimento a crianças (creche e brinquedoteca), etc. A grande parte dessas atividades não se enquadra em atendimento de horário comercial, acontece de acordo com as necessidades e particularidades de cada local. Não somos uma empresa, somos uma Universidade.

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também