Início > Notícias > Entidades apoiadoras da Auditoria Cidadã da Dívida se reúnem com o Ministro do STF, Roberto Barroso
Entidades apoiadoras da Auditoria Cidadã da Dívida se reúnem com o Ministro do STF, Roberto Barroso

Ministro é relator da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 59/2004, da OAB, que pode obrigar o Congresso a realizar a Auditoria da Dívida prevista na Constituição de 1988

Participaram da Audiência Maria Lucia Fattorelli, Rodrigo Avila (Coordenação da Auditoria Cidadã da Dívida), Laercio Bernardes dos Reis (ASMPF), Maria Antonieta Cossio Xavier (INTERSINDICAL e ASSUFRGS), Regina de Fátima de Souza (SINTUPERJ), Henrique Olegário Pacheco, Luiz Fernando Rodrigues Gomes (SITRAEMG), José Júnior Alves Mesquita da Silva, Matheus Peres Machado Magalhães, José Francisco Barbosa Oliveira (Núcleo DF da Auditoria Cidadã da Dívida), Paulo Henrique S. Garrido, Fábio Roberto Kruger (ASFOC), Maria Cristina de Araújo (CORECON-DF), Breno de Souza Rocha (SINDIRECEITA), Adeline Cecilia Castilho Dias (MPM-DF), Pedro Banwart (OAB).

As entidades relataram ao Ministro como o problema do endividamento público afeta as suas respectivas áreas de atuação, reduzindo os recursos para as áreas sociais e serviços públicos fundamentais para o país. Por este motivo, e considerando os inúmeros e graves indícios de ilegalidades desta dívida, que consome mais de 40% do orçamento federal a cada ano, Maria Lucia Fattorelli explicou a Barroso a importância de se realizar uma completa auditoria, com participação cidadã. Maria Lucia entregou ao Ministro um Memorial que resume os argumentos favoráveis ao acatamento da ADPF, e mostra as fragilidades dos argumentos contrários apresentados até o momento pelo Congresso Nacional e pela Procuradoria Geral da República.

O Ministro se confessou surpreso com as informações, admitindo que até aquele momento se encontrava influenciado pelos recentes noticiários, de que a dívida não seria mais um problema para o país, demonstrando a necessidade de maior divulgação do tema inclusive para os demais ministros. As entidades apresentaram a sugestão para a realização de uma Audiência Pública sobre a dívida pública no STF, de modo a inserir o tema no debate da Corte e mostrar aos demais ministros a importância de que a ADPF seja julgada procedente.

Quanto à preocupação argumentada durante a reunião de que, mesmo na hipótese de o Congresso instalar a Comissão de auditoria da dívida, tal fato possa não significar a efetiva investigação (a exemplo de muitas CPIs), os presentes esclareceram que há experiências positivas também: durante a recente CPI da Dívida Pública concluída em maio/2010 na Câmara dos Deputados, houve uma grande mobilização por parte das entidades apoiadoras da Auditoria Cidadã. A cada reunião da CPI, ficava lotado o Plenário da CPI com representantes da sociedade, que contribuíram para a elaboração do Relatório Alternativo do deputado Ivan Valente, que aponta graves indícios de ilegalidades. Esse Relatório contou com um número de assinaturas igual ao número de votos dados ao Relatório Final da CPI, formulado pela base do governo e que, apesar de reconhecer diversos problemas em seu diagnóstico, concluiu pela não existência de ilegalidades no endividamento.

O Ministro também perguntou às entidades sobre a existência de economistas que defendam a causa, e logo foi atendido, pois dentre as entidades presentes se encontrava o CORECON-DF.

Ao final, o Ministro se comprometeu a estudar o assunto, e as entidades se colocaram à disposição para quaisquer esclarecimentos.

“Este foi mais um passo dado, na luta pelo cumprimento de nossa Constituição Federal, que prevê, no art. 26 do ADCT, a realização da auditoria da dívida”, declarou Fattorelli.

Por Rodrigo Avila

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também