Início > Notícias > Estudantes e servidores públicos participaram de protesto em Porto Alegre pelo impeachment de Yeda
Estudantes e servidores públicos participaram de protesto em Porto Alegre pelo impeachment de Yeda

Estudantes e servidores públicos participaram na manhã desta quinta-feira 14, em Porto Alegre, de uma manifestação para exigir o impeachment da governadora Yeda Crusius. Embaixo de muita chuva, os manifestantes saíram do Parque da Harmonia e seguiram até o Palácio Piratini, sede do governo gaúcho. No trajeto, banners, cartazes, faixas e palavras de ordem denunciavam [...]

Estudantes e servidores públicos participaram na manhã desta quinta-feira 14, em Porto Alegre, de uma manifestação para exigir o impeachment da governadora Yeda Crusius.

Embaixo de muita chuva, os manifestantes saíram do Parque da Harmonia e seguiram até o Palácio Piratini, sede do governo gaúcho. No trajeto, banners, cartazes, faixas e palavras de ordem denunciavam a corrupção no governo Yeda.

Antes de chegar ao Palácio Piratini foi realizado um protesto em frente ao Ministério Público Estadual, que tem sido omisso na apuração de denúncias envolvendo o governo do estado.

A anuência do MP com as ações do governo começaram no ano passado, quando orientou a retirada de outdoors veiculados pelo Fórum dos Servidores Públicos Estaduais que apontavam Yeda como a responsável pelo desmonte da educação, pela destruição dos serviços públicos e pela corrupção.

O MP também arquivou o processo que averiguava as denúncias de irregularidade na compra da atual casa da governadora. E agora se recusa a reabri-lo mesmo com as novas evidências.

Os estudantes entraram na Assembleia Legislativa, onde penduraram uma grande faixa pedindo o impeachment de Yeda. Permanecem no saguão do Legislativo para cobrar a abertura de uma CPI para apurar as denúncias de corrupção no governo estadual.

“O afastamento da governadora é uma exigência até mesmo para que a apuração das denúncias seja feita sem a interferência do Piratini”, destacou a presidente do CPERS/Sindicato Rejane de Oliveira.

João dos Santos e Silva, assessor de imprensa do CPERS/Sindicato

Veja também