Início > Notícias > Estudantes ocupam Instituto Federal da Restinga em resposta à aprovação da PEC 241
Estudantes ocupam Instituto Federal da Restinga em resposta à aprovação da PEC 241

Estudantes, técnicos e docentes se reunem na tarde desta quinta-feira (13/10) para deliberar sobre o movimento.

Estudantes do Ensino Médio do Instituto Federal campus Restinga ocuparam as dependências da instituição no início desta semana em protesto contra medidas em tramitação no Congresso Nacional e propostas pelo governo de Michel Temer que irão precarizar as condições dos institutos federais.

Presidente do Grêmio Estudantil do IFRS, Vinícius Mandicaju explica que a mobilização começou na noite de ontem por parte de um grupo de estudantes indignados com a aprovação na Câmara dos Deputados da PEC 241, que estabelece um teto de gastos para o governo federal e irá limitar, nos próximos 20 anos, os investimentos em educação a patamares de 2017, sendo corrigidos apenas pela inflação.

Mandicaju explica, porém, que até o momento o IFRS não está totalmente ocupado pelos estudantes – aulas estão ocorrendo normalmente. Segundo ele, os estudantes da manhã manifestaram apoio à ocupação. “O pessoal da manhã ficou bem empolgado com a ideia. A gente super apoia. O que ficou meio assim é a questão de paralisar as aulas ou não”, ponderou.

ocupacao-ifrs-campus-restinga-2

Estudantes se reuniram para debater a ocupação | Foto: Divulgação

Segundo ele, a ideia dos estudantes é promover atividades e aproveitar os espaços do IFRS para debater a PEC 241, a MP de Reforma do Ensino Médio, os recursos para Educação previstos no Orçamento da União de 2017, que traz cortes para os institutos federais, entre outros temas. Ele não descarta uma ocupação total do IFRS, aos moldes do que ocorreu em escolas estaduais há alguns meses. Na última sexta-feira (7), os estudantes, técnicos e docentes já tinham feito uma caminhada pela Restinga para conscientizar a comunidade a respeito destes temas.

Segundo o IFRS, em reunião realizada na noite de ontem, o grupo de dez estudantes que iniciou a ocupação elaborou uma carta aberta à comunidade. Os estudantes relataram que a primeira noite no local foi tranquila, sem resistência por parte da direção e que muitos servidores da instituição já se manifestaram favoráveis às mobilizações. O cronograma das atividades será divulgado pelas redes sociais e será criado um evento no Facebook para acompanhamento.

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também