Início > Notícias > Greve dos bancários pára o centro de Porto Alegre
Greve dos bancários pára o centro de Porto Alegre

A greve dos bancários interrompe o funcionamento de quase todas as agências do Centro de Porto Alegre, onde se concentram os principais bancos públicos e privados da capital gaúcha.

A greve dos bancários interrompe o funcionamento de quase todas as agências do Centro de Porto Alegre, onde se concentram os principais bancos públicos e privados da capital gaúcha.

O movimento cresceu nesta quinta-feira, dia 5, com a greve de 24 horas dos banrisulenses e a paralisação das unidades dos bancos privados. Os funcionários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, em greve desde a última sexta-feira, realizam assembléia de avaliação, às 16h, no Clube do Comércio, enquanto que os empregados do Banrisul se reúnem às 17h, na Casa dos Bancários, para decidir sobre a continuidade do movimento.

A categoria pressiona os banqueiros para que retomem as negociações e apresentem uma proposta decente. Na sétima rodada, a Fenaban ofereceu um reajuste de 2,85%, que corresponde à inflação apontada pelo INPC. A proposta também prevê PLR de 80% do salário mais R$ 823 e um adicional de R$ 750, caso o crescimento do lucro dos bancos seja de 20% em 2006.

Com os lucros recordes dos bancos, os bancários exigem aumento real de 7,05%, PLR de um salário bruto mais R$ 1.500 e distribuição de 5% do lucro líquido dos bancos de forma linear, fim do assédio moral e das metas abusivas, e melhores condições de saúde, segurança e trabalho.

Os banrisulenses, que há três anos não são recebidos pela direção do banco para negociar suas pautas específicas, mostram força e mobilização. Cerca de 80% dos caixas da agência Central paralisaram. A unidade abriu com apenas quatro caixas. Também aderiram funcionários de várias agências urbanas.

Além de pressionar os banqueiros, os banrisulenses lutam pela abertura imediata de negociações com a diretoria do banco para discutir a pauta específica, entregue no dia 17 de junho. Os trabalhadores querem mudanças no quadro de carreira, atendimento das demandas dos segmentos como os operadores de negócios, democratização da Fundação Banrisul e da Cabergs e eleição de diretor representante e conselho de representantes dos funcionários.

Também é forte o movimento nos bancos privados, com a paralisação de agências do Bradesco, Itaú, Unibanco, HSBC, Santander Banespa, ABN Real, Sudameris, Mercantil do Brasil.

Os bancários do BB e da Caixa, que também rejeitaram a proposta da Fenaban, estão em greve na capital gaúcha desde o dia 29 de setembro e exigem avanços em suas negociações especificas. Nesta sexta-feira, dia 6, ocorre nova negociação entre a Comissão de Empresa dos Funcionários e o BB, em São Paulo.

A greve também cresceu nesta quinta-feira no interior gaúcho e outros estados, como São Paulo, Paraná, Ceará, Pará, Acre e Amazonas, dentre outros. Só com luta será possível arrancar conquistas para a categoria.

Fonte: SindBancários de Porto Alegre e Região

Veja também