Início > Notícias > Greve no BB e na Caixa larga com força e arranca novas negociações
Greve no BB e na Caixa larga com força e arranca novas negociações

A greve por tempo indeterminado dos funcionários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal largou com força e muita disposição de luta em Porto Alegre.

Em assembléia de avaliação realizada no final da tarde desta sexta-feira, dia 29, pelo SindBancários, os trabalhadores decidiram intensificar a paralisação, que já acontece em 12 importantes estados do Brasil, destacando-se capitais como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Recife, Natal, Maceió e Florianópolis. Nova assembléia ocorre nesta segunda-feira, dia 2 de outubro, às 19h, no Clube do Comércio, quando será avaliada a mobilização, bem como a negociação que ocorre às 15h do mesmo dia com o BB, em São Paulo.

Quase todas as agências da Caixa tiveram as suas atividades paralisadas. Segundo levantamento do SindBancários, Federação dos Bancários do RS e Apcef/RS, funcionaram precariamente somente duas unidades em Porto Alegre (Praça Otávio Rocha e Mont’Serrat), além de Guaíba e Alvorada. No BB pararam as principais concentrações de funcionários (o prédio da rua Uruguai e o GEREL), bem como várias agências urbanas. Também pararam várias agências do BB e da Caixa no interior do Estado.

Com a paralisação, os funcionários do BB e da Caixa pressionam os banqueiros e as direções desses bancos para que avancem as negociações das pautas específicas, que incluem demandas como Plano de Cargos e Salários (PCS) e isonomia de direitos.

Fruto dessa mobilização, o BB agendou nesta sexta-feira uma nova rodada de negociações para segunda-feira, dia 2 de outubro, às 15h, em São Paulo. Na última rodada, o BB apresentou somente uma proposta diferenciada de PLR, sem atender as demais reivindicações.

Já a Caixa marcou nova rodada para quarta-feira, dia 4 de outubro, em Brasília. Na negociação ocorrida na quinta-feira, dia 28, não houve nenhum avanço.

A pressão da greve também arrancou nova reunião entre o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban, que será realizada na terça-feira, dia 3 de outubro, às 15h, em São Paulo. A primeira proposta dos banqueiros, que prevê reajuste salarial de míseros 2%, foi rejeitada pela categoria, pois sequer repõe a inflação dos últimos 12 meses, que foi de 2,80% pelo ICV Dieese e de 2,85% pelo INPC. Também não tem aumento real, nem PLR maior.

Na quarta-feira, dia 4 de outubro, às 19h, acontece assembléia dos empregados do Banrisul e demais bancos, na Casa dos Bancários, para votar indicativo de greve a partir do dia 5. Os banrisulenses também lutam para abrir negociações com a diretoria do banco sobre a pauta específica, que foi entregue no dia 17 de junho, mas até o momento nenhuma reunião foi agendada.

Fonte: SindBancários de Porto Alegre e Região

Veja também