Início > Notícias > Instalada Comissão 30h
Instalada Comissão 30h

A primeira reunião da comissão que discutirá a Implantação da Flexibilização da Jornada de Trabalho ocorreu na quinta-feira, 16/05. Participaram as coordenadoras gerais da ASSUFRGS Bernadete Menezes e Rosane Souza, o coordenador do Conselho de Delegados Rui Muniz e os representantes da CIS Silvio Correa e Daniel Moraes. O reitor salientou a importância do tema [...]

A primeira reunião da comissão que discutirá a Implantação da Flexibilização da Jornada de Trabalho ocorreu na quinta-feira, 16/05. Participaram as coordenadoras gerais da ASSUFRGS Bernadete Menezes e Rosane Souza, o coordenador do Conselho de Delegados Rui Muniz e os representantes da CIS Silvio Correa e Daniel Moraes. O reitor salientou a importância do tema das 30h, ressaltando a necessidade de aprender com os processos já iniciados em outras universidades, aproveitando o que foi positivo e evitando cometer os mesmos erros. Em seguida, informou que a Comissão será coordenada pela vice pró-reitora de Gestão de Pessoas (PROGESP) Vânia Cristina Pereira.

Além da vice pró-reitora e dos representantes da ASSUFRGS e da CIS acima citados, os demais membros que compõem a comissão são: Berenice Camargo – Assessora da Faculdade de Arquitetura, Luiz Carlos Pinto da Silva Filho – Diretor da Escola de Engenharia, Paulo Ricardo da Silva Lima – Assessor do Instituto de Química, Sérgio Gonçalves Macedo Júnior – Progesp e Soraya Maria Vargas Cortes – Diretora do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas.

Após um período aberto à exposição da opinião de cada membro sobre o tema, onde algumas manifestações referiam-se à implantação do ponto eletrônico, a ASSUFRGS lembrou que a comissão tem como objetivo debater as 30h, sendo que o livro-ponto já é previsto em lei.

“As IFES tem um funcionamento atípico e a flexibilização de horários tem permitido atender a todo o crescimento da demanda dos últimos anos”, afirmou Bernadete Menezes.

“Temos que propor uma nova cultura, onde regras de ponto eletrônico e jornada de trabalho não engessem a flexibilização que garante a gestão e os resultados da UFRGS”, ponderou Rui Muniz.

O representante da Progesp Sérgio Macedo Júnior alegou que foi editada uma portaria que não prevê o livro ponto, mas sim o eletrônico ou biométrico. Silvio Correa, representante da CIS solicitou que todos pudessem ver a portaria e o documento do Ministério Público que exige da UFRGS o controle via ponto eletrônico.

O representante da Progesp buscou os documentos para análise. A comissão decidiu encerrar a reunião e retornar o debate na próxima quinta-feira, 23/05, às 14h.

O GT 30h da ASSUFRGS fará uma avaliação desta primeira reunião para decidir os próximos encaminhamentos à comissão.

Foto: Cadinho Andrade/UFRGS

*Matéria originalmente publicada no Boletim 233, também disponível no site.

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também