Início > Notícias > Jantar e viajar com empreiteiro é pouco para levar Cabral à CPI, diz Temer
Jantar e viajar com empreiteiro é pouco para levar Cabral à CPI, diz Temer

O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB-SP), disse nesta terça-feira (8) não haver motivos para que o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), seja convocado para depor na CPI do Cachoeira. “Chamar o Sérgio Cabral porque o Sérgio Cabral jantou com um empreiteiro no estrangeiro… Me parece que não há ilegalidade neste ponto, [...]

O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB-SP), disse nesta terça-feira (8) não haver motivos para que o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), seja convocado para depor na CPI do Cachoeira. “Chamar o Sérgio Cabral porque o Sérgio Cabral jantou com um empreiteiro no estrangeiro… Me parece que não há ilegalidade neste ponto, não é?”, afirmou Temer.

Os comentários do vice-presidente referem-se à revelação de imagens em que Sérgio Cabral aparece confraternizando com o empresário Fernando Cavendish, dono da empreiteira Delta, que é investigada pela CPI.

Michel Temer falou sobre o assunto no “Poder e Política – Entrevista”, programa do UOL e da Folha conduzido pelo jornalista no estúdio do Grupo Folha em Brasília.

Leia a transcrição da entrevista de Michel Temer à Folha e ao UOL
Veja fotos da gravação da entrevista com Temer

Na entrevista, o vice-presidente falou também sobre as relações entre seu partido, o PMDB, e o PT da presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, as siglas se enfrentarão em várias cidades nas eleições municipais, mas tentarão fazer com que isso não prejudique a aliança nacional. O enfrentamento mais simbólico ocorrerá em São Paulo, com Fernando Haddad (PT) contra Gabriel Chalita (PMDB).

Temer disse ainda que PMDB e PT manterão o acordo para se revezarem na Presidência da Câmara dos Deputados. Em 2013, haverá nova eleição para o cargo e a vez é de algum peemedebista ocupar o cargo.

Outro assunto da entrevista foi o Código Florestal. Temer disse que os congressistas do PMDB podem mudar de posição e apoiar o governo se Dilma vetar o projeto de lei ambiental aprovado pela Câmara e substituí-lo por uma Medida Provisória (MP). MP é um texto elaborado pelo Poder Executivo e que vale como lei temporariamente sem precisar de aprovação do Legislativo para isso.

A seguir, playlist com trechos em vídeo da entrevista de Michel Temer (passe o mouse sobre as imagens para escolher o tópico do depoimento que deseja assistir). Abaixo da playlist, vídeo com a íntegra da entrevista. A transcrição completa está disponível em texto.

 

Deu na Imprensa – FÁBIO BRANDT – DE BRASÍLIA

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também