Início > Notícias > Marcha surte primeiros efeitos : MEC recebeu FASUBRA no dia 10 de agosto
Marcha surte primeiros efeitos : MEC recebeu FASUBRA no dia 10 de agosto

Foto: FASUBRA Sindical Caravaneiros da ASSUFRGS participaram da marcha que reuniu mais de 1500 servidores em Brasília. Mais de 1.500 caravaneiros vindos de diversas  localidades do país, chegaram em Brasília ontem dia 9 de agosto. Marcha do primeiro dia do acampamento em Brasília movimentou Esplanada Mais de dois mil técnico-administrativos em Educação realizaram na tarde [...]

Foto: FASUBRA Sindical

Caravaneiros da ASSUFRGS participaram da marcha que reuniu mais de 1500 servidores em Brasília.

Mais de 1.500 caravaneiros vindos de diversas  localidades do país, chegaram em Brasília ontem dia 9 de agosto.

Marcha do primeiro dia do acampamento em Brasília movimentou Esplanada

Mais de dois mil técnico-administrativos em Educação realizaram na tarde de ontem, dia 9, uma marcha na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. A caminhada saiu do local onde estão acampados – em frente ao Museu Nacional – e contornou a Esplanada, fazendo paradas estratégicas na secretaria de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento (MPOG), no Ministério da Educação e na sede do MPOG. Os trabalhadores vindos de todo o Brasil caminharam dizendo palavras de ordem contra a atual política para a Educação. A atividade marcou o primeiro dia de acampamento desses trabalhadores, que compões a base da Fasubra. A Assufrgs esteve presente com os seus 40 caravaneiros. Os tentando faixas, bandeirolas e fazendo muito barulho os trabalhadores da UFRGS e da UFCSPA fizeram-se notar em meio às demais representações.

O objetivo do acampamento, que segue até a próxima quinta-feira, é forçar o governo a abrir negociação com os servidores, em greve desde o dia 6 de junho. A pauta principal está centrada na obtenção de um reajuste salarial, na implantação de uma data-base para novos reajustes e na não-privatização dos hospitais universitários. Até agora o governo federal negou-se a negociar com os grevista, chegando a ingressar no Superior Tribunal de Justiça para pedir a declaração de ilegalidade da greve.

Como resultado da instalação do acampamento, os caravaneiros conseguiram marcar uma audiência com o ministro da Educação, Fernando Hadad, que acontece na manhã de hoje. Os trabalhadores estão em vigília em frente ao MEC, acompanhando essa reunião. Também foi solicitado um encontro com o MPOG, que ainda não respondeu.

Hoje à tarde está prevista uma visita ao Congresso e, às 18 horas, uma caminhada com velas.

Cemitério – O Acampamento da Greve da FASUBRA é mais uma oportunidade que a categoria encontrou para protestar contra os PL 1749/11. O Projeto de Lei já tramita no Congresso Nacional e possibilita a criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares – EBSERH. Para isso foi montado no local do acampamento um cemitério com 45 cruzes que representam a “morte” dos hospitais universitários que poderão ser administrados por uma empresa privada, o que dará início à privatização dos hospitais, à redução da autonomia universitária, e poderá ocasionar dupla porta de entrada de servidores, prejudicando o Regime Jurídico, que proporciona efetividade e estabilidade aos trabalhadores administrativos concursados. Além disso, os TAES acampados protestam ainda contra o PL 549/2010, que prevê o congelamento dos salários do funcionalismo público por 10 anos. 

Programação – Para esta quarta-feira (10), o Comando Nacional de Greve da FASUBRA Sindical tem uma programação intensa para quem participa do Acampamento da Greve. Para as 07 horas da manhã está marcado um café da manhã e caminhada para o MPOG. A partir das 16h, os caravaneiros fazem uma visita ao Congresso Nacional. Uma caminhada com Velas está prevista para as 18h, e encerrando as atividades será realizada uma vigília política e cultural.

Com adaptações_Assessoria de Imprensa_ASSUFRGS
Informações Especial Brasília – Charles Almeida

Veja também