Início > Notícias > Marcha une jornalistas e estudantes em defesa do diploma para o exercício profissional
Marcha une jornalistas e estudantes em defesa do diploma para o exercício profissional

Uma marcha em defesa do diploma movimentou algumas das principais ruas de Porto Alegre na manhã desta terça-feira, dia 31 de março. Dezenas de jornalistas, sindicalistas e estudantes se concentraram na Praça da Matriz, Centro da Capital, às 10h, e iniciaram uma caminhada de dois quilômetros até a sede do Tribunal Regional Federal da 4ª [...]

Uma marcha em defesa do diploma movimentou algumas das principais ruas de Porto Alegre na manhã desta terça-feira, dia 31 de março. Dezenas de jornalistas, sindicalistas e estudantes se concentraram na Praça da Matriz, Centro da Capital, às 10h, e iniciaram uma caminhada de dois quilômetros até a sede do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. No trecho, distribuíram panfletos e a edição extra do jornal Versão dos Jornalistas, com matérias sobre a votação do Recurso Extraordinário 511961, que definirá pela manutenção ou não do diploma para o exercício de Jornalismo.

Foto: Roberto Santos

Marcha saiu da Praça da Matriz e seguiu pelo Centro de Porto Alegre

Os cartazes e faixas exibidas à população em avenidades como a movimentada Borges de Medeiros evidenciavam o desejo dos manifestantes de que o STF atendesse não apenas o desejo dos jornalistas, mas de toda a sociedade. Um carro de som reproduzia as peças da campanha da Federação Nacional dos Jornalistas – Fenaj, e megafones passavam pelas mãos dos profissionais e estudantes de diversas escolas de Jornalismo do Rio Grande do Sul. A população recebeu o material, entendeu o apelo e conversou com os manifestantes. Em muitos pontos, os moradores faziam sinal de positivo do alto dos edifícios, do interior dos restaurantes ou nas paradas de ônibus.

No final da passeata, o presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul, José Maria Rodrigues Nunes, o vice-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas, Celso Schröder, e outros oradores, manifestaram confiança de que o STF atenderá aos anseios da população, votando favoravelmente à manutenção do diploma. "Há 40 anos, tivemos um golpe que culminou em uma ditadura. Não queremos que outro golpe atinja a nossa democracia", pediu Nunes.

Foto: Arfio Mazzei

Vice-presidente da Fenaj discursou em frente ao TRF da 4ª Região

O ato que mais emocionou os participantes foi quando o carro de som tocou o Hino Nacional Brasileiro. De imediato, todos se deram as mãos e cantaram o hino. Nesta quarta-feira, 1º de abril, jornalistas e estudantes fazem vigília na Esquina Democrática, confluência entre a Borges de Medeiros e a Andradas, a partir das 14h. No local, será instalado um telão para que os jornalistas presentes e a população acompanhem a votação no STF.

Foto: Roberto Santos

Hino foi entoado de mãos dadas pelos manifestantes

Veja também