Início > Notícias > Mesas de interesse têm palestras sobre temas específicos
Mesas de interesse têm palestras sobre temas específicos

Dando seqüência às atividades do XXI Confasubra, foram realizadas na quinta-feira (12), as Mesas de Interesse que abordaram temas diversos como Juventude, Formação Política, Cultura, Esporte e Lazer, Mulher Trabalhadora, LGBT, Raça, Meio Ambiente e Comunicação Sindical.  Essa última teve por objetivo dar oportunidade para diretores efuncionários dos sindicatos da trocarem experiências de atuação nos [...]

Dando seqüência às atividades do XXI Confasubra, foram realizadas na quinta-feira (12), as Mesas de Interesse que abordaram temas diversos como Juventude, Formação Política, Cultura, Esporte e Lazer, Mulher Trabalhadora, LGBT, Raça, Meio Ambiente e Comunicação Sindical. 

Essa última teve por objetivo dar oportunidade para diretores efuncionários dos sindicatos da trocarem experiências de atuação nos setores de comunicação. As propostas ali tiradas deverão contribuir para a formulação de uma política de comunicação avançada e voltada para a informação e formação dos técnico-administrativos em educação. A mesa de interesse sobre comunicação sindical foi composta pela assessora de Comunicação do Sintest-RN, Lívia Cavalcanti; pela coordenadora-geral do Sindifes/BH, Neide Dantas; por Leandro Chemalle; Cássia Maciel, diretora da Assufba, e Bernardo Pilloto, diretor do Sindtest-PR. A coordenação dos trabalhos ficou a cargo do diretor de Comunicação e Formação Sindical da Fasubra, Sandro Pimentel.

Iniciando as explanações, Lívia Cavalcanti, falou sob a ótica de funcionária do SINTESRN, um dos sindicatos com melhor estrutura em comunicação da base da Fasubra. Ela fez um histórico do processo de evolução da comunicação e sua importância para a história da humanidade, apontando que as maiores transformações sociais ocorreram em paralelo com as revoluções da comunicação.

 Ela também defendeu a necessidade de os sindicatos investirem em infra-estrutura tecnológica e de recursos humanos para se profissionalizar e melhor combater as investidas da mídia conservadora; abordou o mito da imparcialidade, que em sua opinião é inexistente pois a linha editorial dos veículos de comunicação estabelece que valores sociais devem ser promovidos ou oprimidos, e reafirmou a necessidade de os meios de comunicação utilizados nos sindicatos falarem a linguagem dos seus associados, ou seja, os técnico-administrativos em educação. Sobre as tecnologias hoje disponíveis, a assessora afirmou que “os sindicatos devem se apropriar delas” para atingir todos os atores que fazem a universidade.

 

Por sua vez, Neide Dantas, coordenadora-geral do Sindifes/BH, também fez uma recuperação da história da comunicação sindical desde a invenção da mesma pelo movimento anárquico no início do século passado, até os dias atuais. Segundo Neide, a comunicação sindical deve estar voltada para a formação política do técnico-administrativo em comunicação e abordar aspectos conjunturais econômicos e sócio-políticos. “A Comunicação Sindical é

indissociável da formação. As duas devem andar par e passo para que haja resultado positivo”, garantiu. Dantas também disse que a Comunicação Sindical não deve privilegiar a opinião de grupos políticos e de direções. “O nosso foco tem sempre que ser o associado, a pessoa que necessita da informação para tomar conhecimento das suas lutas”, afirmou.

 Com um posicionamento mais a favor da comunicação digital, Leandro Chemalle disse que a utilização das mídias sociais é fundamental para o avanço da comunicação sindical. Ele acredita que um dos maiores desafios de quem trabalha com isso hoje em dia nas entidades é inserir as bases sindicais no mundo digital (internet, redes sociais e blogs). Por isso, ele defendeu a criação de centros de inclusão digital nos sindicatos para oferecer cursos para os técnico-adminstrativos. Ele contribuiu ainda com duas propostas para melhorar a comunicação da Federação: sugeriu a formação de uma rede de sites a partir da página da Fasubra e realizar um novo encontro de comunicação para sindicalistas e jornalistas.

 Cássia Maciel, coordenadora da Assufba, falou sobre infra-estrutura, financiamento e o mito da imparcialidade tão defendido nas escolas euniversidades de comunicação. Para ela a parcialidade deve existir sim e andar a favor das causas defendidas pela categoria, em defesa dos direitos conquistados e a adquirir. “A comunicação sindical é para os técnico-administrativos, para aproximá-los das entidades sindicais. Para isso, ela deve ter por objetivo tornar as lutas mais claras, elevar a auto-estima do associado e assim, promover a consciência de classe”, finalizou.

  Por outro lado, Bernardo Pilloto, fez uma breve exposição da experiência que tem adquirido na área, defendeu a valorização do setor pelas entidades de base. “As ações de comunicação não podem ser consideradas ‘um gasto a mais”, como é recorrente no sindicalismo. Ela deve ser pensada como investimento na luta da classe trabalhadora, como ferramenta de divulgação dos nossos movimentos”, declarou. Piloto afirmou também que é fundamental que haja maior envolvimento das diretorias na produção das peças informativas, tais como boletins, sites, cartilhas, cartazes e campanhas midiáticas. Finalizando sua participação, Pilloto propôs que a Fasubra realize debate sobre democratização da comunicação.

 Fechando as explanações da mesa, o coordenador de Comunicação, Sandro Pimentel, informou aos participantes como é a estrutura da

Coordenação de Comunicação e Formação Sindical da Fasubra, quanto a recursos humanos e infra-estrutura. Ele também falou sobre as atividades realizadas pela coordenação nessa gestão que se encerra, e destacou o Curso de Mídias e Vivências Digitais ocorrido ano passado como um momento ímpar para o avanço na política de comunicação da entidade, que passou a ter um Núcleo de Mídia Digital. Pimentel salientou que a Federação está aberta a todas as contribuições que venham a significar progresso na área e conclamou aos sindicalistas e jornalistas presentes a terem mais participação nas ações da Federação. “Ajudem a Fasubra a evoluir, cobrando ações que resultem em melhoria da infra-estrutura física e nos meios disponíveis de interação entre a base sindical e a sociedade”, disse.

 Após as falações, a mesa abriu espaço para que sindicalistas e jornalistas falassem sobre o funcionamento das áreas de comunicação e fizessem questionamentos aos palestrantes.

 ________________________________________________

 Texto: Carla Jurumenha – ASCOM FASUBRA

2 comentários para "Mesas de interesse têm palestras sobre temas específicos"

  1. Igor Corrêa Pereira abril 15th, 2012 01:56 am Responder

    Aos doze dias do mês de abril de 2012, das 10h às 13h, no auditório do Golden Park Hotel em Poços de Caldas/MG, ocorreu a mesa de interesse do temário “Juventude”, com a presença de 27 pessoas. A mesa iniciou com uma exposição de abertura de representantes de cinco teses inscritas no XXI CONFASUBRA, pela ordem de apresentação escolhida por sorteio: Igor Pereira da CTB, Douglas Gomes Ramos da Silva e Charles Brasil da Tribo, Eliezer Ramos Coura da ANEL/CSP/CONLUTAS, Diego do Vamos à Luta e Valdenise Pinheiro do Unidos pra Lutar.

    Pela primeira vez a FASUBRA debateu em Congresso a questão da juventude trabalhadora. Esse tema só pôde ser proposto porque nos últimos anos aproximadamente 45 mil novos servidores entraram nas Universidades em decorrência de concursos que não eram realizados há mais de uma década, e portanto se criou uma demanda nova de inserção dessa nova geração no movimento sindical. O painelista propôs ainda que o XXI CONFASUBRA aprovasse simbolicamente uma pasta sobre assuntos de juventude.

    Encaminhou-se como propostas consensuais a criação de uma pasta específica para a juventude e os novos servidores na direção da FASUBRA, que seja capaz de organizar a discussão e a agenda de luta dos novos servidores e apontou-se o indicativo da realização do I Encontro de novos servidores da base da FASUBRA a realizar-se ainda este ano. Encaminhou-se ainda que a FASUBRA oriente as bases a realizar atividades preparatórias a este Encontro Nacional. Também encaminhou-se que todas as propostas levantadas pela MESA deveriam ser contempladas na programação deste Encontro.

  2. Marisane abril 20th, 2012 16:03 pm Responder

    Participei desse debate. A meu ver, foi o melhor debate em todo congresso! Parabéns a juventude e a todos os novos servidores! Sejam bem vindos e boa sorte na continuidade de nossa luta!

Deixe seu comentário

Veja também