Início > Notícias > Nos bastidores da Marcha: Delegação da Assufrgs enfrentou dificuldades no Hotel de Brasília
Nos bastidores da Marcha: Delegação da Assufrgs enfrentou dificuldades no Hotel de Brasília

Veja mais fotos A delegação da Assufrgs enviada a Brasília para integrar a marcha contra o PL 549/09 – o PL da “Era do Gelo” que prevê o congelamento dos gastos com serviço público federal – teve que enfrentar dificuldades ao se hospedar no Bay Resort Hotel na véspera da manifestação. O hotel contratado para [...]

Veja mais fotos
A delegação da Assufrgs enviada a Brasília para integrar a marcha contra o PL 549/09 – o PL da “Era do Gelo” que prevê o congelamento dos gastos com serviço público federal – teve que enfrentar dificuldades ao se hospedar no Bay Resort Hotel na véspera da manifestação.

O hotel contratado para hospedar os delegados e pago com uma semana de antecedência simplesmente não estava preparado para receber a delegação. “Nós chegamos no hotel ali pelas 20h. Eram 3h da madrugada quando arrumaram colchões para que os vinte e poucos não instalados pudessem dormir um pouco, num depósito de cadeiras do hotel”, relatou Jonacir Rolim, delegado representante da vigilância do Campus do Vale.

A explicação arrancada com muito custo dos funcionários do Bay Resort Hotel – um hotel situado a cinco minutos do local de realização da Marcha – é que não haviam quartos suficientes para hospedar os 46 delegados. “É um problema de gestão do hotel”, admitiu Marilene Rodrigues, funcionária do hotel, responsável pela organização de eventos.

A imagem do saguão do hotel na madrugada que antecedeu a manifestação era de tumulto e desorganização. Filas enormes, hóspedes nervosos, inclusive de outros países, também com reservas, aguardavam sem ter perspectiva de conseguirem vagas, assim como a delegação da Assufrgs.

O caso foi parar na 5ª Delegacia da Polícia Civil do Distrito Federal. A queixa, movida pela coordenadora da Assufrgs, Schirlei Cassel, era pela demora do hotel – com mais de 4 horas – para hospedar a delegação. “O delegado foi bastante prestativo, disse que nunca antes haviam prestado queixa em caso semelhante, tentou resolver por bem, contactando o Hotel, que não deu solução para o caso. Ele disse que um caso assim pode se encaixar como estelionato e ser passível de ressarcimento do dinheiro pago, além de indenização individual por danos morais”, contou Schirlei. Ela ficou até às 3h da manhã fazendo um boletim de ocorrẽncia. “Tínhamos idosos na nossa delegação, que foram prejudicados, além de toda a delegação. A empresa de turismo, Consultur, que contratou o hotel Bay Resort, irá processá-lo” informou Schirlei.

O incidente não abalou o ânimo da caravana da Assufrgs, que ao amanhecer já estava a postos para tomar café e ir para a Marcha. “Foi preciso vir do sul para prestar queixa desse hotel. Deixamos nossa marca em Brasília”, observou a coordenadora da Assufrgs, Maria Antonieta, a “Totô”, que acompanhou o episódio

Por Igor Corrêa
Fotos Celso Alves
Coordenadores da Assufrgs

Veja também