Início > Notícias > Oficina aborda valorização dos educadores e meritocracia
Oficina aborda valorização dos educadores e meritocracia

Uma centena de pessoas se reuniram em Sapiranga na oficina  " PNE 2011-2020 Uma Educação do tamanho da 5ª Economia MundialValorização dos educadores, sem meritocracia". Os debates foram iniciados pelas intervenções das(o) companheiras(o) Ivanete C. da Silva ( Diretora Sindicato dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro), Nivaldo Gonçalves ( Diretor do Sindicato dos [...]


Uma centena de pessoas se reuniram em Sapiranga na oficina  " PNE 2011-2020 Uma Educação do tamanho da 5ª Economia Mundial
Valorização dos educadores, sem meritocracia".

Os debates foram iniciados pelas intervenções das(o) companheiras(o) Ivanete C. da Silva ( Diretora Sindicato dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro), Nivaldo Gonçalves ( Diretor do Sindicato dos Professores Municipais de Sapiranga), Luciana Martins ( Presidente do Sindicato dos Professores Municipais de Novo Hamburgo) e Neiva Lazzarotto (Vice-Presidente do CPERS/Sindicato- Coletivo Avante Educadores). A atividade foi coordenada por Bernardete Menezes coordenadora da Assufrgs (Associação dos Servidores da UFRGS) e da Direção da Intersindical.

Os debates foram de uma qualidade excelente, propiciada pela troca de experiências entre os professores do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro, dificuldades e avanços na luta dos educadores. Foi discutida uma Marcha em defesa da educação com pontos de consenso com outros grupos, como 10% do PIB para educação, defesa da Lei do Piso Salarial Nacional, entre outros. A marcha deve ocorrer durante a Conferência Nacional de Educação em Brasília. Uma proposta a ser pensada!

Sobre as intervenções:
Nivaldo criticou o avanço da gestão privada sobre a educação pública;
Luciana relatou a luta dos professores de Novo Hamburgo contra o desmonte de seus planos de carreira, relacionando esta tendência com o ataque geral das classes dominantes contra o serviço público;

Ivanete ofereceu um rico relato sobre a situação da educação carioca, diante da violência, falta de estrutura, desvalorização profissional e os ataques de governos contra os trabalhadores e seus planos de carreira. O ano de 2009 foi marcado pela luta dos professores do RJ contra a mudança dos planos de carreiras, ocorreram enfrentamentos com a polícia, prisões, e etc, porém os educadores saíram vitoriosos. No entanto, lá a meritocracia já é implementada, gerando uma série de distorções pedagógicas e estruturais no ensino daquele estado. Seu relato foi importante para reafirmarmos nossa posição contrária à meritocracia que propõem Yeda, aqui no estado;
Neiva Lazzarotto encerrou a intervenção inicial dos componentes da mesa, falando sobre os baixos índices da educação brasileira, apesar da riqueza do país, os ataques às carreiras dos educadores e ao piso salarial nacional, rebaixado recentemente por orientação do MEC, e sobre a luta contra Yeda e sua privatização da gestão educacional no RS.

Outra presença importante foi a do Professor André, presidente do Sindicato dos Professores de Sapiranga, que observou que a atividade do Avante, lá realizada, havia sido a única atividade independente e crítica à política educacional do Governo Lula, em um Fórum Social Mundial dominado pelo oficialismo alinhado ao Governo Federal.

Foi uma ótima atividade de início de ano, importante para recomeçar um período de muitas lutas e novos desafios.

Fonte Blog Avante Educadores

Veja também