Início > Notícias > Polêmica da paridade nas eleições para as diretorias das unidades da UFRGS
Polêmica da paridade nas eleições para as diretorias das unidades da UFRGS

Procuradoria da UFRGS mandou orientação para proporção de 70/15/15 e diretoria do ICBS solicitou a revogação da eleição na unidade que teve porcentagem de 40/40/20 aprovada pelo conselho da unidade.

A comunidade universitária da UFRGS vem conseguindo em 2016 uma série de vitórias quando o assunto é a democracia nas eleições para as diretorias de unidades. IFCH, FACED e Biblioteca Central são bons exemplos disso, conseguindo aprovar a paridade. Já o ICBS teve mudança positiva na porcentagem para a consulta pública. Saiba mais sobre os avanços clicando aqui.

Porém nesta semana a procuradoria da UFRGS enviou ofício com orientação para que a porcentagem na consulta pública das eleições das unidades da UFRGS seja mantida em 70/15/15, em um entendimento próprio da lei. O ofício, claro, causou revolta na comunidade. 

A ASSUFRGS deixa claro que a sua posição é de respeito pela autonomia do conselho das unidades. Lembra também que a questão sobre a ilegalidade da paridade já foi há muito tempo superada, já que outras universidades do país adotam a paridade como entendimento, inclusive, legal.

O Reitor, em reunião com a ASSUFRGS, clique aqui, afirmou que a orientação não partiu da Reitoria e foi uma ação da própria procuradoria devido a reclamações de docentes de algumas unidades. Oppermann disse que também foi surpreendida pelo ofício, mas que é dever da reitoria repassar as informações da procuradoria para as unidades. O Reitor solicitou para a categoria de técnico-administrativos um tempo para poder formalizar um parecer sobre o tema. A previsão é que este retorno seja divulgado na próxima semana. 
 
Caso do ICBS
 
No mesmo momento em que a procuradoria orientava pela proporcionalidade 70/30 a consulta pública para a diretoria do ICBS enfrenta sua própria polêmica acerca da eleição. A diretora da unidade emitiu nota solicitando a revogação do processo eleitoral que havia conseguido porcentagem de 40/40/20, através do conselho da unidade. O pedido da diretoria se dá após a um questionamento realizado por um docente da unidade que afirma que a porcentagem determinada no conselho fere a lei, que no entendimento dele apontaria para o 70/15/15.
 
A ASSUFRGS reforça que a autonomia dos conselhos das unidades deve ser respeitada! A comunidade acadêmica está atenta e não deixará que retrocessos na democracia da UFRGS avancem! 

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também