Início > Notícias > Professores da UFSM decidem entrar em greve na semana que vem
Professores da UFSM decidem entrar em greve na semana que vem

UFSM é a terceira universidade gaúcha a aderir à paralisação nacional, junto com Furg e Unipampa  Professores da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) decidiram na noite de quarta-feira, em assembleia, que irão aderir ao movimento grevista que atinge mais de 40 federais no país e parar a partir de segunda-feira.  Com um público de [...]

UFSM é a terceira universidade gaúcha a aderir à paralisação nacional, junto com Furg e Unipampa

 Professores da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) decidiram na noite de quarta-feira, em assembleia, que irão aderir ao movimento grevista que atinge mais de 40 federais no país e parar a partir de segunda-feira.

 Com um público de 110 pessoas — entre professores e acadêmicos —, a reunião durou cerca de quatro horas. Foram 40 votos favoráveis, 18 contrários à adesão e duas abstenções. O indicativo de greve já tinha sido aprovado na semana passada, sem data prevista. O representante da Seção Sindical dos Docentes da UFSM (Sedufsm), Rondon de Castro, diz que a escolha pela greve não agrada a categoria, mas que a falta de diálogo da União tornou o desfecho inevitável.

 Em pauta, além da política salarial, estiveram outros temas de interesse da comunidade universitária, como melhores condições de trabalho e reestruturação do plano de carreira dos professores.

 A UFSM tem 26,9 mil estudantes e 1,7 mil professores e é a terceira universidade gaúcha a aderir à greve nacional acompanhado da Universidade Federal do Rio Grande (Furg) e Universidade Federal do Pampa (Unipampa).

 Em gráfico, confira como está o movimento grevista nas universidades federais do RS

 

Fonte: Zero Hora

24/05/2012

7 comentários para "Professores da UFSM decidem entrar em greve na semana que vem"

  1. ALUNO DA UFSM fevereiro 6th, 2014 12:53 pm Responder

    Mas o que estão pensando estes servidores? pq não se mobilizam alguns dias em Brasília, ao menos os professores de instituições federais ganham um salário bem alto em relação aos professores de instituições estaduais, e não trabalham mais que 10 horas por semana, tem seus sábados e domingos em casa, porque nós alunos temos que atrasar nossas aulas e depois só conseguir terminar o ano letivo no alto verão, hein? injustiçaaa

    1. Rafael fevereiro 6th, 2014 16:54 pm Responder

      Não generalize. Sou docente e trabalho mais de 60h por semana. Lembre-se que as atividades de um professor não se restringem àquelas em sala de aula (ensino, pesquisa e extensão). De qualquer modo, sou contrário à greve.

  2. Tiago fevereiro 6th, 2014 13:13 pm Responder

    Com tantos trabalhadores ganhando um pouco mais de um salário mínimo durante boa parte da vida, os professores sempre se acham os grandes afetados pela “situação Brasil”.
    E o mais engraçado é que sempre se dedicam à greve os professores que menos contribuem para a instituição.
    Parece que a felicidade esta em achar empecilhos e não em trabalhar!

  3. Guilherme fevereiro 6th, 2014 14:46 pm Responder

    leiam a data antes de qualquer coisa…notícia antiga.

  4. Daniel fevereiro 6th, 2014 15:04 pm Responder

    Como postam uma notícia sem data? Cadê a seriedade?

  5. ATENÇÃO SEMPRE É BOM!!! fevereiro 6th, 2014 15:11 pm Responder

    Esta noticia é 24/05/2012. “Conhecimento aliado a falta de informação.”

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2012/05/professores-da-ufsm-decidem-entrar-em-greve-na-semana-que-vem-3768324.html

  6. Fábio Treter fevereiro 6th, 2014 15:39 pm Responder

    Palhaçada isso, bando de desocupado, eu quero começar o ano bem e ainda vem fazer essas besteiras de greve, como se não ganhassem bem!!.

Deixe seu comentário

Veja também