Início > Notícias > Recortes de jornais da Biblioteca do Senado serão digitalizados
Recortes de jornais da Biblioteca do Senado serão digitalizados

Um acervo de três milhões de recortes de jornais sobre os mais variados assuntos – aproximadamente cinco mil temas -, coletados pela Biblioteca do Senado desde 1974, sairá das estantes deslizantes, climatizadas e com sistema de segurança, onde estão armazenados, para entrar no espaço virtual da internet, por meio da digitalização. Com isso, uma enorme [...]

Um acervo de três milhões de recortes de jornais sobre os mais variados assuntos – aproximadamente cinco mil temas -, coletados pela Biblioteca do Senado desde 1974, sairá das estantes deslizantes, climatizadas e com sistema de segurança, onde estão armazenados, para entrar no espaço virtual da internet, por meio da digitalização. Com isso, uma enorme gama de informações estará à disposição de toda a população brasileira e também de interessados em todo o mundo.

O processo de digitalização será realizado pela Secretaria Especial de Editoração e Publicações (Gráfica do Senado) que, com esse trabalho, inicia uma nova modalidade de prestação de serviço.

A conclusão da primeira etapa está prevista para o final deste ano. São cerca de 160 mil recortes de jornais sobre eleição, partido político e legislação eleitoral. Quando o trabalho de digitalização estiver concluído, os interessados poderão ter acesso ao texto completo da notícia, com a recuperação podendo ser feita por autor, título, nome do jornal, data e assuntos, no site da Biblioteca Digital do Senado, pelo endereço http://www2.senado.gov.br/bdsf/.

- É um projeto importante para a memória brasileira, possibilitando o acesso ao nosso patrimônio histórico sobre ciências políticas e sociais em língua portuguesa. Vai representar uma mudança absoluta na democratização do acesso à informação – afirma a diretora da biblioteca, Simone Bastos Viera.

Edição completa

Além de guardar os recortes de jornais classificados por temas, a Biblioteca do Senado mantém, em arquivos, a edição completa do jornal em papel, trabalho que teve início em 1985 e já conta com mais de 60 mil exemplares. Em microfilmes, há exemplares de alguns jornais mais antigos. Há preciosidades nesses espaços, como a coleção do Correio Braziliense de 1808 a 1974.

Atualmente, nove jornais de circulação nacional são arquivados diariamente, em sua versão completa: O Globo, O Dia, Jornal do Brasil, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, Jornal da Tarde, Correio Braziliense, Jornal de Brasília e Valor Econômico. Dessas mesmas publicações, são feitos os recortes guardados em papel. Mesmo com o processo de digitalização desse material, a versão integral dos periódicos continuará sendo arquivada.

Pesquisas

Cerca de mil e quinhentas consultas são feitas anualmente ao material microfilmado. O usuário conta com uma sala na biblioteca para realizar sua pesquisa em máquinas apropriadas para a leitura, podendo gravar os arquivos de seu interesse em CDs ou pendrives.

Já as consultas aos recortes de jornais são estimadas em 34 mil a cada ano, por item solicitado. Enquanto todo o acervo de recortes não estiver digitalizado, o usuário poderá continuar realizando pesquisas na Biblioteca do Senado, em Brasília. É cobrado apenas o valor de R$ 0,30 pela cópia de cada recorte solicitado.

Constituinte

Em 1987, a Biblioteca iniciou um processo pioneiro de digitalização de recortes de jornais sobre a cobertura da Assembleia Constituinte. O banco de dados sobre esse assunto conta atualmente com cerca de 34 mil textos digitalizados e acessíveis aos usuários em qualquer terminal de computador.

A Biblioteca também deu início, em 2004, à clipagem eletrônica de alguns jornais, reunindo, em um banco de notícias, o material que as empresas jornalísticas disponibilizam diariamente na internet. Esse banco já conta com quase 132 mil notícias, que podem ser recuperadas por título, autor, assunto e data. Paralelamente a esse trabalho, o recorte dos jornais continua sendo realizado para as notícias que não são encontradas na internet.

Por Denise Costa / Agência Senado

Veja também