Início > Notícias > Reitor confirma que não vai assinar todos os planos de flexibilização aprovados
Reitor confirma que não vai assinar todos os planos de flexibilização aprovados

Carlos Alexandre prometeu emitir as primeiras portarias “nos próximos dias”; sobre o login, concordou em criar um GT sobre o controle da frequência, mas se negou a suspender o sistema

A coordenação da Assufrgs se reuniu com a reitoria nesta segunda-feira (6/6) para tratar da pauta de greve. Apesar de o avanço ser pequeno nas negociações, ficou claro que a grande mobilização dos técnicos pressionou a reitoria. Na última semana, os trabalhadores em greve da UFRGS ocuparam a reitoria por 72 horas.

Flexibilização

Sobre a flexibilização, Carlos Alexandre afirmou que já há planos de trabalho prontos para serem assinados “nos próximos dias”  e que a Progesp “já está pesquisando modelos de portarias, inclusive em outras universidades”. Mas reafirmou que nem todos os planos aprovados pela Comissão de Flexibilização (Comflex) vão ser aprovados. Sobre os planos que não podem ser aprovados de acordo com o entendimento do reitor, Carlos Alexandre disse que vai procurar os diretores das respectivas unidades para tratar do assunto e, somente depois falará com a Comflex.

A coordenação da Assufrgs reiterou a plena confiança na exatidão da análise realizada na Comflex, que aprovou somente planos que atendam à decisão do Consun e portaria do próprio reitor. Por isso, entende que todos os planos aprovados pela Comflex devem ter sua portaria de flexibilização emitida. Sobre a emissão das portarias, os coordenadores afirmaram que não basta uma promessa, é preciso que seja efetivamente implantada a flexibilização.

Login

Carlos Alexandre negou a possibilidade de suspender o sistema login, que é outra pauta na greve. Contudo, voltou atrás na posição de não discutir o sistema com os técnico-administrativos em educação. Concordou em criar um GT sobre controle da frequência, o que não resolve o problema, mas abre o debate sobre a necessidade de um controle de jornada e frequência adequados a universidade.

Mobilização

É hora de reforçar a mobilização e pressionar ainda mais a reitoria e o candidato da situação para que atendam as nossas pautas! Só a união e a força do nosso movimento podem garantir o respeito aos nossos direitos.

Por isso, dias 8, 15 e 16 de junho é greve na UFRGS! Pela assinatura imediata de todos os planos de flexibilização! Pela suspensão do sistema de login! Pela paridade na universidade!

E dia 16/6 nenhum técnico vota na chapa 3!Dia, 16,  Oppermann não!

 

Calendário de mobilização

7/6: reunião do comando de mobilização da greve, com representantes das unidades. Na Assufrgs, às 17h.

8/6: greve de 24 horas e manifestação no debate dos candidatos, às 9h, no Salão de Atos.  14h: assembleia na Reitoria.

14/6: envio de uma representação para o debate dos candidatos a reitor no Campus Litoral Norte, às 14h. Interessados devem enviar nome para secretaria@assufrgs.org.br.

15 e 16/6: greve de 48h – Dia 16 Oppermann não; pela assinatura dos planos de flexibilização; contra o login; pela paridade.

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também