Início > Notícias > Reitor da UFRGS afirmou que tem acordo em pagar progressão com critérios antigos
Reitor da UFRGS afirmou que tem acordo em pagar progressão com critérios antigos

Na vigília na Reitoria nesta terça-feira, dia 21, os servidores em greve conseguiram a garantia do professor José Carlos Hennemann de que as progressões serão pagas com os critérios antigos. Segundo ele, a dívida passada não poderia de fato ser paga com os critérios atuais e sim de forma automática, mas em conjunto com o Projeto de Avaliação a ser aprovado no Consun. A posição do reitor foi comemorada pelos servidores presentes à atividade.

Na vigília na Reitoria nesta terça-feira, dia 21, os servidores em greve conseguiram a garantia do professor José Carlos Hennemann de que as progressões serão pagas com os critérios antigos. Segundo ele, a dívida passada não poderia de fato ser paga com os critérios atuais e sim de forma automática, mas em conjunto com o Projeto de Avaliação a ser aprovado no Consun. A posição do reitor foi comemorada pelos servidores presentes à atividade.

Quem tem direito à progressão?

Quando passamos da antiga carreira para a atual, muitos colegas estavam prestes a fechar os dois anos necessários para receber uma progressão, que naquela ocasião era automática. Passados mais de dois anos da nova carreira, vários colegas já tem duas progressões vencidas e até agora nada. Agora temos a garantia do reitor de que será paga automaticamente, como já fizeram outros reitores no país.

Reuni e Plano de Saúde

Os servidores também cobraram do reitor sua posição sobre o projeto do governo federal, o Reuni. Hennemann afirmou que o debate começou recentemente e que o projeto foi encaminhado para a análise dos diretores de Unidades.

Quanto ao Plano de Saúde, o reitor reforçou o trabalho da comissão institucional. Os servidores afirmaram que estão contra o Parecer que aponta licitação de Plano Privado e que o GT Benefícios da Greve indica o GEAP como a melhor alternativa.

Reunião suspensa em Brasília

No final da manhã, o Comando de Greve recebeu a notícia do adiamento da reunião entre CNG-FASUBRA/MP, agendada para as 19h. O ministério transferiu a negociação para quinta-feira, dia 23, no mesmo horário.

Apesar disso, o CLG manteve a vigília. Ao meio-dia foi servido um salchipão e às 14h30 o assessor jurídico da Assufrgs, dr. Rogério Coelho, falou sobre a PEC 12, mas conhecida como a PEC dos Precatórios. Em breve, publicaremos artigo do advogado sobre o tema.

Veja também