Início > Notícias > Reunião entre FASUBRA e governo trata pontos de reivindicação dos técnicos
Reunião entre FASUBRA e governo trata pontos de reivindicação dos técnicos

Ministério do Planejamento se comprometeu a responder a pauta da data-base depois do carnaval.

No final da manhã desse dia 26/02 as representações do MEC e MPOG receberam a FASUBRA para tratar da nossa pauta referendada na última plenária, conforme combinado na reunião do dia 17/02/2014.

A representação do governo iniciou a reunião dizendo que não estavam ali para repactuar o acordo, uma vez que em seu entendimento há um acordo em vigência assinado em 2012. Ao mesmo tempo afirmou que através de um esforço da equipe do MEC o governo manifesta sua disposição em discutir internamente fazendo gestões junto ao MPOG e Casa Civil para o atendimento de itens da pauta que eles entendem que tem a ver com os desdobramentos do acordo assinado em 2012, com vigência até 2015.

A representação da FASUBRA respondeu que a maioria dos itens de nossas reivindicações são antigos e que não se trata de propor novo acordo, mas sim, o cumprimento integral do acordado no termo assinado entre a Entidade e o Governo ao final da greve de 2012 e que são desdobramentos do debate à época. Diante disto a representação da FASUBRA questionou quais seriam esses itens e que cronograma o governo vai propor, visto que temos uma greve marcada para o dia 17/03.

A representação do MEC destacou alguns pontos de nossa pauta aos quais em sua opinião é possível avançar e que em nome do Ministro da Educação, se compromete a envidar esforços para construir uma posição de acatamento às reivindicações, mas para isto depende de conversas por dentro do governo. Os itens destacados foram:

01- Cumprimento integral do acordo da greve de 2012, reconhecendo os certificados de capacitação que os aposentados já possuíam quando da constituição da carreira, e cronograma com resolutividade para a negociação dos relatórios de todos GT’s;

02- Aproveitamento de disciplinas da pós-graduação (especialização, mestrado e doutorado) para pleitear incentivo à capacitação;

03- Reconhecimento dos cursos de mestrados e doutorados fora do país; (Dentro das normas da CAPS e aplicadas aos docentes)

04- Não a perseguição e criminalização da luta! Democratização já!

05- Liberação de dirigentes sindicais para o exercício de mandato classista;

A representação da FASUBRA ressaltou como positiva a iniciativa do MEC em se esforçar no atendimento de alguns itens de nossa pauta, mas questionou que não adiantava o MEC ter acordo com alguns itens se o MPOG não se manifestasse a favor. Foi solicitado então que o Secretário de Relações do Trabalho, o Sr. Sérgio Mendonça se pronunciasse.

A representação do MPOG pediu a palavra e disse que não poderia dar uma palavra final naquele momento, que tal decisão depende não só da Ministra Miriam Belchior, mas também de conversas e acordos na junta orçamentária aos quais estão envolvidos o MPOG, mas também a Casa Civil e o Ministério da Fazenda. E chegou a dizer que a Ministra Miriam Belchior deve responder a pauta geral do funcionalismo em breve, não antes do carnaval como prometido, mas responderá em breve.

A representação da FASUBRA ainda questionou sobre o restante dos itens da nossa pauta e a representação do governo respondeu que não está fechado à negociação em relação aos outros 2

 

itens, mas o que não tiver ligação com o acordo de 2012, só terá espaço para ser discutido em 2015.

Informou que já possuem uma nota técnica em relação às ONs 15 e 16 e também já está pronto o documento em resposta sobre perseguições políticas no interior das Instituições.

Por fim, a representação da FASUBRA propôs um calendário para dar continuidade ao processo negocial da pauta, reforçando que a greve é uma realidade e está marcada para o dia 17 de março e que é necessário uma resposta do governo que atenda concretamente às reivindicações, caso queira evitar o conflito.

Ficou acertada uma agenda com reuniões nos dias 06 e 07 de março para dar prosseguimento à negociação.

Fonte: Assessoria de Comunicação da FASUBRA SINDICAL

5 comentários para "Reunião entre FASUBRA e governo trata pontos de reivindicação dos técnicos"

  1. Renato março 10th, 2014 14:35 pm Responder

    Vejam que, das cinco pautas mostradas aí, duas falam dos aposentados. Até quando vamos priorizar os aposentados em nossas lutas????? E o pessoal que entrou há alguns anos, o que estão pleiteando para eles? Trabalho há dez anos na Universidade e é sempre a mesma ladainha na ASSUFRGS e FASUBRA: a proteção aos aposentados. E como ficam os servidores que ainda têm muito chão pela frente? O governo já assinalou que daria um aumento maior no step caso fossem desvinculados os aposentados do pessoal da ativa. Mas, como sempre, a Fasubra recusou. Somos a única categoria que ainda mantém a paridade entre ativos e aposentados. Enquanto isso não acabar, o governo nunca dará um aumento de step real para nós. Precisamos colocar servidores mais jovens na ASSUFRGS que lutem por um aumento real de STEP, pelo aumento do vale-aliementação etc.

  2. Antonio Carlos Pinheiro março 12th, 2014 16:48 pm Responder

    Respodendo ao Jovem Renato, quero alerta-lo que um dia você será um aposentado, e estas lutas pelos aposentados não são sómente para os que ja estão aposentados, mas tambem aos futuros aposentados que aqui tambem me enquadro vamos ser beneficiados, Você vai deixar para lutar por seus direitos de aposentado quando se aposentar? ou quando estiver se aposentando como tem uns colegas por ai, que também eram contra lutar por aposentado, hoje estão ai lutando pelos aposentados porque estão se aposentando, Você vai ser um destes tambem? te garanto que não vai adiantar nada, que força tu acha que terá aposentado fazer greve? Aposentado sósinho não tem força política, mas nós sim podemos lutar por eles, Fica ai Pra ti refletir melhor teus ideais, abraço.

  3. Jorge Torres março 13th, 2014 12:51 pm Responder

    Renato, muito infeliz o teu comentário. Não sei, se você além de relativamente novo n0 serviço público e na UFRGS, também é jovem, pois atribuo o teu infeliz comentário a falta de maturidade e talvez, falta de vivência sindical e ausência de lutas. Quero alertá-lo que você, eu presumo, pretende aposentar-se um dia afinal este é o objetivo de quem trabalha, e creio que contigo não deve ser diferente. Somos a única categoria em que há paridade entre ativos e aposentados e todos sindicalizados ou não das universidades são agradecidos a todos que lutaram e lutam por esta bandeira. A FASUBRA luta por todos, ativos e aposentados, não discrimina ninguém. Luta pelos servidores jovens, os mais antigos e os aposentados. Quanto a colocar servidores mais jovens na ASSUFRGS para lutar, aproveito e faço um convite para você: Venha para o sindicato, faça parte dessa renovação, venha lutar e defender as tuas bandeiras.

  4. Renato março 13th, 2014 15:39 pm Responder

    Desculpa, mas não acho inteligente lutar pelos aposentados se não temos um salário bom agora. Eu acho preferível receber um aumento real AGORA, como ocorreu no INSS, do que ter uma paridade com o pessoal da ativa quando eu me aposentar. Até porque não sei quanto tempo irei viver depois que me aposentar. Eu ainda tenho vinte e cinco anos de trabalho no serviço público. Posso imaginar quanto dinheiro irei perder, quantas coisas deixarei de comprar, quanta penúria terei que sofrer para assegurar um direito de um salário “melhorzinho” quando eu já estiver caquético, broxa, debilitado. Não vejo inteligência nisso. Eu sempre achei que a culpa fosse do governo por nós termos o menor piso do funcionalismo, mas não. Isso é resultado de anos de intransigência da FASUBRA.

  5. Rafael março 14th, 2014 10:38 am Responder

    Renato, vc não tem coragem de defender isso em assembleia, né?! Vc não vê inteligência em defender os aposentados é porque teu egoísmo é tão grande quanto tua ignorância…

Deixe seu comentário

Veja também