Início > Notícias > Servidores fecham a Reitoria da UFRGS em Dia Nacional de Paralisação
Servidores fecham a Reitoria da UFRGS em Dia Nacional de Paralisação

A Reitoria da UFRGS permaneceu fechada até o início da tarde desta quinta-feira, dia 21. Cerca de 10 servidores ficaram acorrentados desde as 7h junto à porta principal. Após o almoço, com salchipão, foram dados informes jurídicos e foi encerrada a manifestação. Em todo o país, mais de 20 universidades pararam.

A Reitoria da UFRGS permaneceu fechada até o início da tarde desta quinta-feira, dia 21. Cerca de 10 servidores ficaram acorrentados desde as 7h junto à porta principal. Após o almoço, com salchipão, foram dados informes jurídicos e encerrada a manifestação. Em todo o país, mais de 20 universidades pararam.

O dia começou com um café da manhã, animado por uma dupla gaudéria. Na Assembléia Geral, a partir das 9h30, após a coordenadora geral da Assufrgs Bernadete Menezes falar sobre os motivos da paralisação, os delegados sindicais deram relatos da paralisação nas suas Unidades. O deputado estadual Raul Carrion (PCdoB), o presidente do DCE, Rodolfo Mohr, e o presidente do Sindipetro/RS, Edson Flores, foram levar sua solidariedade ao movimento.

Segundo o coordenador de Aposentados da Fasubra, Francisco Alves (Chiquinho), mais de 20 universidades pararam no país. A Fasubra convocou esta paralisação pela retirada do PLP 92/07, projeto do governo federal que cria as Fundações Estatais de Direito Privado. A jornada de lutas contra o projeto será encerrada no dia 10 de setembro com uma Marcha em Brasília. Ainda nesta sexta-feira, dia 22, os trabalhadores presentes no Encontro Regional Sul da Fasubra, em Pelotas, realizam uma caminhada em defesa do Hospital Universitário pelas ruas da cidade. A Assufrgs participará da caminhada e do encontro com 21 servidores, que viajam na madrugada de sexta.

Na UFRGS, a paralisação também foi contra a intervenção do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão que cassou os Processos de Capacitação de servidores da Universidade, o descongelamento das ações de horas extras e planos econômicos e em defesa da autonomia universitária. Por coincidência, um problema no equipamento da Rede Nacional de Pesquisa, provedor Internet da UFRGS, deixou toda a Universidade sem acesso a Internet até as 13h30. Será que tem a ver com falta de "capacitação" de nossos servidores?

Veja as fotos da manifestação na Reitoria

Veja também