Início > Notícias > Servidores ocupam as ruas de Porto Alegre
Servidores ocupam as ruas de Porto Alegre

Mais de mil manifestantes ocuparam nesta terça-feira (17) as ruas de Porto Alegre no Dia Nacional de Lutas dos Servidores Públicos. Estudantes secundaristas, professores do Estado, professores e estudantes da UFRGS e os trabalhadores do judiciário estadual se uniram aos servidores técnicos em educação do RS contra o congelamento dos salários.


Manifestantes ocupam as ruas do Centro

Reitor declara apoio aos manifestantes

Estudantes do Julinho participam da passeata

Estudantes da ESEF exigem RU já

Mais de mil manifestantes ocuparam nesta terça-feira (17) as ruas de Porto Alegre no Dia Nacional de Lutas dos Servidores Públicos. Estudantes secundaristas, professores do Estado, professores e estudantes da UFRGS e os trabalhadores do judiciário estadual se uniram aos servidores técnicos em educação da UFRGS, UFSM, FURG e UFPEL para protestar contra o congelamento dos salários dos servidores federais.

A atividade iniciou no saguão da Reitoria da UFRGS, onde os manifestantes começaram a se concentrar a partir das 10 horas. No local foi aberto o microfone para que os representantes das entidades declarassem seu apoio ao movimento e apresentassem suas reivindicações.

O reitor da universidade, professor José Carlos Hennemann, desceu do seu gabinete e foi receber das mãos dos representantes da Assufrgs, do DCE-UFRGS e da Andes-SN a pauta de reivindicações de cada segmento. O reitor saudou os presentes e se comprometeu a atender, no que fosse da alçada da reitoria, as exigências do movimento. Ele também disse que enviaria um comunicado ao MEC relatando a manifestação na Universidade.

Após o Ato na Reitoria, os manifestantes saíram em passeata pelo Centro de Porto Alegre até a sede do Banco Central. Durante o trajeto, foi informado à população os motivos da manifestação, em especial o ataque do governo Yeda ao ensino público no Rio Grande do Sul e a proposta do governo Lula de congelar os salários dos Servidores Públicos Federais durante os próximos dez anos. Em frente ao Banco Central, as entidades novamente fizeram uma saudação aos manifestantes. O tom dos discursos foi de unidade em defesa dos direitos dos trabalhadores e de ataque à política econômica do governo Lula.

Os estudantes do colégio Júlio de Castilho, o Julinho, estavam em grande número no ato e ressaltaram a necessidade da população também defender o ensino público que vem sendo sucateado pela governadora Yeda Crusius. Outro destaque da manifestação, foram as reivindicações dos estudantes da UFRGS, que compareceram para exigir, entre outras necessidades, a construção do Restaurante Universitário na ESEF e a reforma do teatro do Instituto de Artes.

Encerrando o ato unificado, os coordenadores da Assufrgs Neco e Bernadete destacaram que esse foi apenas a primeira atividade da Campanha Salarial 2007. Muito mais vem por aí, os servidores só deixarão as ruas quando tiverem garantido o reajuste dos salários e a derrubada do PLP 01/2007 que congela os salários pelos próximos dez anos.

Rio Grande, Santa Maria e Pelotas presentes

O Dia Nacional de Lutas dos Servidores Federais marcou o início de manifestações conjuntas dos servidores Técnicos em Educação das universidades do RS. Nesse dia 17, os servidores de Rio Grande, Santa Maria e Pelotas vieram em bom número para o Ato Público em Porto Alegre. Os ônibus saíram ainda de madrugada das suas cidades e chegaram pela manhã na reitoria.

O último ônibus a chegar foi o dos servidores de Santa Maria, que pararam durante a viagem para dar seu apoio ao MST, que realizava um Ato Público para lembrar os 11 anos do massacre de Eldorado de Carajás. Após darem seu apoio aos sem-terra, os trabalhadores ainda tiveram seu ônibus parado por uma blitz na estrada. Mas nada disso impediu que os companheiros chegassem a tempo e participassem com toda a animação da manifestação em Porto Alegre.

O Ato dessa terça-feira foi uma prova que somente a unidade de todos os trabalhadores poderá garantir a manutenção dos nossos direitos e a conquista das nossas reivindicações.

Texto e Fotos: Marcelo Souza (Engenho Comunicação e Arte)

Veja também