Início > Notícias > SPF não aceitam contraproposta do governo e negociações continuam
SPF não aceitam contraproposta do governo e negociações continuam

Fasubra se reúne nesta quinta (9) com o MEC para sequencia de negociações.

Por Luciana Castro

A reunião do Fórum dos Servidores Públicos Federais com o secretário de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), Sérgio Mendonça, aconteceu às 17h30min. O evento estava agendado para as 14h, mas foi remarcado a pedido dos SPF, após ser constatada a presença de outras entidades que não compõe o fórum e que não estão em greve. Segundo Rogério Marzola, coordenador geral da Fasubra Sindical, o motivo seria a necessidade de uma reunião específica para debater a pauta de reivindicações dos servidores em greve. Milhares de trabalhadores técnico- administrativos e docentes permaneceram em vigília em frente ao prédio do ministério durante o evento.

Os Servidores Públicos Federais não aceitaram a proposta de reajuste do governo de 21,3%, por considerar o índice insuficiente. As discussões foram sobre a necessidade de rever o índice ofertado e reduzir o tempo do reajuste, proposto para quatro anos; debater reajuste de benefícios, data base e a negociação coletiva – OIT 151 (Convenção nº 151, da Organização Internacional do Trabalho, relativa à Proteção do Direito de Organização e aos Processos de Fixação das Condições de Trabalho na Função Pública). Até o dia 21 de julho será agendada uma nova reunião.

Reunião com o MEC

Na quinta-feira, 9, a FASUBRA Sindical se reunirá com o Secretário de Educação Superior, Jesualdo Farias, na sequência das negociações. O evento acontecerá às 17h no Gabinete da Secretaria de Educação Superior (SESu), no Ministério da Educação (MEC).

Caravana da Educação Federal

Milhares de trabalhadores técnico-administrativos, professores e estudantes marcharam juntos por uma educação pública, gratuita e de qualidade. A caminhada partiu da tenda da FASUBRA Sindical, onde os caravaneiros estavam acampados, passando pelo Eixo Monumental em direção ao Ministério da Educação (MEC). Os grevistas agitaram a manhã de Brasília –DF, lotando as ruas da capital federal pela valorização do serviço público. Com vuvuzelas, tambores, carro de som, faixas, cartazes e bandeiras, trabalhadores técnico-administrativos, professores e estudantes clamaram em frente ao MEC pela negociação com os trabalhadores.

 

O ministro Renato Janine não recebeu os representantes da caravana, que solicitaram atendimento para a entrega de Manifesto em defesa da Educação Pública, contra os cortes nos recursos para educação e saúde no orçamento da União e por mais investimentos na Educação Pública. Em seguida, os representantes das entidades presentes ao ato protocolaram o documento, que foi assinado pela Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (FASUBRA Sindical), Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (SINASEFE), Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN), Assembleia Nacional dos Estudantes Livre (ANEL), Oposição de Esquerda da União Nacional dos Estudantes (OE UNE) e Federação Nacional dosEstudantes em Ensino Técnico (FENET).

 

A imprensa de Brasília-DF e a nacional acompanharam as manifestações, contribuindo para a visibilidade da greve.

 

Texto e Foto: Fasubra Sindical

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também