Início > Notícias > TAES do Campus Litoral e Assufrgs realizam reunião com administração da Unidade
TAES do Campus Litoral e Assufrgs realizam reunião com administração da Unidade

30 horas, remoção, infra estrutura e direitos trabalhistas foram algumas das pautas dos trabalhadores para a administração do Campus Litoral – Tramandaí.

A Coordenação da Assufrgs, junto a assessoria jurídica do Escritório Rogério Viola Coelho, estiveram em reunião com os técnico-administrativos, no Campus Litoral Norte da Ufrgs – Tramandaí, na última sexta-feira (14). O Campus Litoral Norte começou suas atividades acadêmicas com  os cursos de graduação realizados de forma interdisciplinar (150 vagas) e  o curso de licenciatura em Educação no Campo( 120 vagas). 

Na reunião com os TAES foram discutidas as demandas de trabalho no novo Campus, as quais foram apresentadas à administração da unidade, no mesmo dia. Os trabalhadores expuseram as principais demandas, e receberam assessoria jurídica sobre como proceder a determinadas situações na relação de trabalho, como assédio moral, ou encaminhar pedidos de remoção/permuta no campus. 

 Mais tarde, a coordenação da Assufrgs, técnico-administrativos e os assessores jurídicos se reuniram com o diretor-administrativo Arão da Silva Moraes que respondeu a cada demanda apresentada.

 

 Remoção/Permuta

Os técnico-administrativos reivindicaram o direito de remoção/permuta do campus, pois os mesmos já haviam manifestado interesse e havia sido negado pela chefia local sob a justificativa, segundo os TAES, que se deveria primeiro concluir o estágio probatório.  A reivindicação é que antes de servidores ingressantes serem lotados em Unidades de Porto Alegre  sejam atendidos os pedidos de remoção dos servidores do Campus Litoral Norte.O Diretor-Administrativo Arão da Silva Moraes da Unidade respondeu que nos primeiros “3 anos não se poderia realizar o pedido devido a implementação recente do campus”, disse Arão,mas que o direito de solicitar remoção será respeitado. Segundo ele, a Unidade discutiu com a PROGESP sobre o chamamento de assistente em administração para a Universidade, pedindo que se desse prioridade para os interessados em permuta do campus litoral; e que os novos servidores realizados via chamamento deveriam então ser encaminhados para o campus Litoral – mas, apenas para os casos de assistente administrativos; os ocupantes dos demais cargos devem prosseguir com processo normal de remoção. Os trabalhadores estarão registrando seus pedidos de permuta e serão acompanhados pela ASSUFRGS nesse processo.

 

30 Horas

Os trabalhadores reivindicaram a implementação das 30 horas com turnos ininterruptos, no Campus e obtiveram a resposta que haverá 30 horas quando a UFRGS regulamentar a questão. A ASSUFRGS questionou a possibilidade de apresentar uma proposta de funcionamento a partir dos próprios servidores, de funcionamento e trabalho. Arão  sinalizou que pode ser discutida uma proposta apresentada pelo sindicato com os trabalhadores. A ASSUFRGS estará encaminhando esse trabalho com os TAE’s do Campus litoral norte.

 

Infra Estrutura

Outro ponto bastante reivindicado pelos trabalhadores é a implementação de um abrigo/parada de ônibus para técnicos, docentes e estudantes que ficam sob as condições de chuva, sol e vento no acostamento da BR, sem proteção alguma. Arão repassou que a Unidade do Campus Litoral teve reunião com a prefeitura de Tramandaí, e sinalizou que em breve a área que contempla o final de linha de ônibus e parada será compactada para implementar abrigo para a comunidade universitária e os ônibus.

Sobre a iluminação do Campus, será construído um pórtico com iluminação mais forte.

 

Transporte entre Campi

A Assufrgs questionou sobre a possibilidade de ônibus gratuito para a comunidade acadêmica  entre o Campus Litoral e Osório, e apresentou que a UFRGS já está estudando a possibilidade em Porto Alegre de implementar tal sistema (clique aqui para ler) . A Assufrgs propôs luta conjunta entre a Unidade do Campus Litoral e sindicato para implementação de transporte gratuito para deslocamento entre os campi.

 

Servidores Estudantes

Os técnico-administrativos, ainda, reivindicaram melhor gestão do horário para os trabalhadores que estão estudando no momento, pois devido a organização de horário e a frágil infra-estrutura não tem permitido qualidade de vida e estudo dos trabalhadores. O diretor administrativo respondeu que o horário para servidor estudante é o que consta no regulamento da Universidade.

 

Refeitório

Os servidores, também, estão sem espaço físico para refeições ( o Campus ainda não possui Restaurante Universitário), e hoje dividem espaço de refeição com os terceirizados, sendo que o local pertencem a estes últimos devido a contrato entre a UFRGS e as empresas terceirizadas. Arão informou que o processo de licitação de refeitório se encontra na prefeitura e a proposta é que a empresa licitada trabalhe com refeição pronta, e a previsão é para entrar em funcionamento a partir de março de 2015, segundo ****.

O diretor informou que a Unidade adquiriu um microondas, mesas e cadeiras, que devem chegar até dezembro e serão instalados no espaço físico do refeitório para os servidores realizarem por enquanto as refeições. Os microondas devem ser retirados quando a empresa licitada começar a funcionar, e instalados em duas pequenas copas.

Participaram das reuniões os coordenadores Bernadete Menezes, Tônia Duarte, Mário Pereira, Margarete Antunes e a servidora Eva Souza; junto aos advogados do Escritório Rogério Viola Coelho.

Um comentário para "TAES do Campus Litoral e Assufrgs realizam reunião com administração da Unidade"

  1. Luci Mari novembro 19th, 2014 16:54 pm Responder

    Parabéns ao sindicato /ASSUFRGS que teve a sensibilidade de ir e ouvir os técnicos administrativos do litoral/UFRGS, pois devem ter muitas demandas e como são “novatos” na universidade precisam e muito de apoio, acompanhamento de uma entidade que os represente, atenda e compartilhe com outros companheiros (as) de outras unidades para que todos se integrem nessa luta que é de todos (as), principalmente os temas mais polêmicos como a democracia interna (eleição para reitor e diretores de unidade), segurança no trabalho e enfim uma pauta ampla mas que precisa ser trabalhada.

Deixe seu comentário

Veja também