Início > Notícias > ASSUFRGS reúne com Administração Central
ASSUFRGS reúne com Administração Central

Após a reunião do Conselho de Delegados (CD), foi aprovada a participação dos técnico-admi-nistrativos em um Ato Político, na Reitoria, onde a Coordenação foi convidada pelo Reitor, Carlos Alexandre, para discutir as demandas e os estudos sobre a mediação do registro do ponto dos servidores, no dia 02 de abril, na Reitoria. Em reunião do [...]

Após a reunião do Conselho de Delegados (CD), foi aprovada a participação dos técnico-admi-nistrativos em um Ato Político, na Reitoria, onde a Coordenação foi convidada pelo Reitor, Carlos Alexandre, para discutir as demandas e os estudos sobre a mediação do registro do ponto dos servidores, no dia 02 de abril, na Reitoria.

Em reunião do CD, foi aprovada, também, a participação da Coordenação do Conselho na reunião com a Administração Central da UFRGS.

Estiveram presentes na reunião a Coordenação Geral da ASSUFRGS, representada por Bernadete Menezes e Rosane Souza, em substituição ao Coor-denador Geral, Edinho Souza, o Coordenador de Imprensa, Rafael Berbigier, os representantes do CD Rui Muniz, Izaías Quintana e Frederico Bartz, além da Assessoria Jurírica da ASSUFGRS, repre-sentada por Thiago Mathias Genro Schneider.

A Administração da UFRGS relatou que vem discutindo sobre o ponto eletrônico desde meados de outubro e que os argumentos, em defesa ao atual controle de frequência, haviam sido repassa-dos ao Ministério Público (MP). Ressaltamos, contudo, que a Administração Central, reunida com a ASSUFRGS em outubro de 2012, comprometeu-se a entrar em contato com a entidade, quando obtivesse novidades, no que diz respeito à denúncia feita ao MP à época. Desde essa reunião, até abril de 2013, houve pelo menos três contatos do MPF, MPOG e Procurador Geral com a Administração da UFRGS (confor-me relatado na reunião do dia 02 de abril), para tratar do assunto, o que não foi informado à ASSUFRGS, apesar do compro-metimento da Reitoria.

A Administração acha por bem conversar e debater com os técnico-administrativos a melhor forma de encaminhar uma resposta até o dia 27 de maio, prazo limite dado pelo MP, conforme repassado pela Reitoria, para a UFRGS apresentar como será a implementação do ponto, que SOMENTE SERÁ PARA OS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS, e não abrangerá os Docentes.

A ASSUFRGS em sua fala, argumentou que “a Universidade tem fazeres diferenciados e complexos: a UFRGS, enquanto Universidade que é, possui especificidades distintas dos demais órgãos do serviço público e, em virtude das diversas deman-das e trabalhos de campo, como atividades de extensão, e ativida-des das diversas unidades/setores da UFRGS.

Somos contrários à alteração do controle atual por ponto eletrônico ou biométrico, que impede, na prática, a compen-sação de horas.

A ASSUFRGS entende que a UFRGS, por ser uma Universidade de excelência, deve manter seu funcionamento por mais de 12h diárias ininterruptas, garantindo o pleno atendimento da comuni-dade interna e externa da Univer-sidade.

A entidade solicitou, ainda, à Administração que disponibilize alguns estudos para aprimorar o debate de como implementar as 30h, que de acordo com o Art. 3º do Decreto nº 4.836, é plenamente viável, conforme segue: “quando os serviços exigirem atividades contínuas de regime de turnos ou escalas, em período igual ou superior a 12h, ininterruptas, em função de atendimento ao público, é facultado ao dirigente máximo do órgão ou da entidade autorizar os servidores a cumprir jornada de trabalho de seis horas diárias e carga horária de 30h semanais, devendo-se, neste caso, dispensar o intervalo para as refeições”.

A Reitoria ficou de agendar uma nova reunião para a próxima semana, onde instalará uma Comis-são, que elaborará um estudo aprofundado com ênfase na força de trabalho, dimensionamento, compensação de horas, custo das horas extras, e, principalmente , no funcionamento da Universidade.

7 comentários para "ASSUFRGS reúne com Administração Central"

  1. neco abril 3rd, 2013 16:02 pm Responder

    Evidente que queremos as trinta horas, o controle é o secundário neste caso. O que pra mim n ficou claro é se o tal ponto eletrônico foi a reitoria que propôs ou o ministério público? Dependendo, as ações de resposta a essa idéia diferem.

    1. Paulo Antoniolli abril 15th, 2013 15:03 pm Responder

      Só que a questão do controle não é tão secundária assim. Pelo menos nessa Ufrgs. Quem controlará quem? Professores e chefes, controlarão os TAs? Quem é “peixe” de diretor ou chefia, terá um controle mais “frouxo” enquanto para os demais “os rigores das normas”? Reitor, Vice-reitor, Pró-reitores, diretores, coordenadores, chefes de departamento, demais professores, também estarão sujeitos às mesmas normas dos demais servidores?

  2. Daniel abril 4th, 2013 09:32 am Responder

    Pois então, pelo que eu entendi o MP tá cobrando frequência, e o ponto eletrônico seria proposta da adm.

    1. Paulo Antoniolli abril 4th, 2013 16:17 pm Responder

      Taí a lebre levantada! Mas, quem fez a dita denúncia?

  3. tonia cunha duarte da silva abril 4th, 2013 11:43 am Responder

    Pelo relato da Coordenação da ASSUFRGS e do Conselho de Delegados, a Administração foi cobrada pela Ministério Público , em função de uma denúncia a se pronunciar sobre o controle de ponto, ainda no ano passado. A Administração Central informou a ASSUFRGS que vai responder até 27 de maio como será o controle de ponto e aponta o retorno de regime de 40 horase ponto eletrônico. Nova reunião com a Reitoria na semana que vem. A questão principal é garantir o funcionamento da Universidade de forma ininterrupta e por inteiro. Manhã ,tarde e noite, funcionamento em fins de semana de muitas atividades e setores , proporcionado pelo regime de 30 horas corridas sem intervalo , o que garante também qualidade de vida aos trabalhadores. Registro de frequência e horário não é problema, naminha avaliação. Estou pensando muito no trabalho que temos pela frente para implantar as 30 horas para todos(as) na UFRGS!! MArquem reunião com a ASSUFRGS em suas Unidades!!VAmos nos organizar. VAmos precisar de todos(as)!!A questão exige urgência na ação e resposta firme, maciça e unitária!! Defenda agora uma universidade aberta ao público em 3 turnos sem interrupção e funcionamento de setores em fins de semana!!
    Tônia Duarte, aposentada e à disposição para participar em reuniões e na luta pelas
    30 horas para todos(as) já!
    Universidade aberta ao público da manhã à noite!

  4. Luci Mari abril 8th, 2013 15:12 pm Responder

    Queremos a Paridade já entre Docentes e Técnicos Administrativos da UFRGS e as 30 horas pra todos então e não as exceções!

  5. Adão abril 18th, 2013 10:05 am Responder

    A denúncia ao MP foi devido aos servidores da reitoria que trabalham 30 horas de maneira ilegal. A progesp mesmo tem todos os servidores trabalhando 30 horas sem amparo legal (e alguns ainda recebendo hora extra).

    O que tem que se acabar na UFRGS é essa política de uns podem e outros não. Não se pode favorecer um grupo em detrimento de outro.

Deixe seu comentário

Veja também