Início > Notícias > UFRGS em ESTADO DE GREVE: categoria sinaliza expediente interno às quartas-feiras
UFRGS em ESTADO DE GREVE: categoria sinaliza expediente interno às quartas-feiras

São pautas da greve: assinatura dos planos de flexibilização aprovados pela COMFLEX, suspensão do login e abertura de negociação sobre o controle da jornada

Em assembleia geral realizada pela categoria no final da manhã desta terça-feira (16 de agosto), no auditório lotado da Faculdade de Economia da UFRGS, os técnico-administrativos decidiram pela manutenção do ESTADO DE GREVE na UFRGS, em preparação à greve com operação padrão.

AÇÕES DO ESTADO DE GREVE

  • Durante o estado de greve, a assembleia indica as quartas-feiras como dia de expediente interno na UFRGS. A partir de 24 de agosto, todas as quartas-feiras os técnicos vão comparecer as suas unidades, mas não vão realizar quaisquer atendimentos (presencial, por telefone ou por e-mail).
  • Não se logar e manter o registro de frequência com a folha ponto, protocolando as folhas ao final do mês junto à PROGESP.
 
PAUTA DA GREVE

São reivindicações dos técnicos da UFRGS:

  • Assinatura dos planos de flexibilização aprovados pela COMFLEX, de acordo com os regramentos do CONSUN;
  • Suspensão do login;
  • Abertura de negociação sobre o controle da jornada;
  • Além disso, o movimento se integra às pautas nacionais dos trabalhadores e se posiciona contrário à retirada dos direitos dos trabalhistas, à reforma da previdência, à privatização da saúde, ao desmonte do serviço público e à criminalização dos movimentos sociais.
 

Categoria aprova manutenção do Estado de Greve

Comando de Mobilização

Foi escolhido também o Comando de Mobilização, que vai definir a proposta de greve de operação padrão, considerando que cada setor possui especificidades. O comando está formado com os seguintes nomes: Gabriel Focking, Ricardo Souza, Angela Fernandes, Marisane Odorisi, Charles Florczak Almeida, Myrela Leitão Barros, Daniel Escouto, Silvio Correa e Rafael Berbigier, além dos coordenadores da ASSUFRGS. Também foram escolhidos os nomes da Comissão de Ética, que atuará em conjunto com a Coordenção Jurídica do sindicato: Myrela Leitão Barros e Angela Fernandes.

Outra pauta da assembleia foram os ataques aos serviços públicos e aos direitos dos trabalhadores. As falas foram unânimes no sentido de que é necessário deixar as divergências de lado e unificar no combate às reformas que vão atingir a toda a classe trabalhadora, como o congelamento de investimentos nos serviços públicos (PLP 257 e PEC 241); privatização do SUS; aumento da idade para a aposentadoria e fim das garantias da CLT.

A assembleia também aprovou Moção de Apoio à comunidade da Faced que, em reunião aberta do Conselho da Faced, indicou a proporção paritária nas eleições para a Direção neste ano. 

Assembleia lotou o auditório da Faculdade de Economia

Apoio ao ato nacional

O dia de paralisação dos TAE iniciou às 6h da manhã em frente a sede da Avenida João Pessoa ,onde os servidores se encontraram e juntos se deslocaram até a FIERGS onde participaram do ato do Dia Nacional de Luta e Mobilização da Classe Trabalhadora. A atividade foi organizada em conjunto pelas centrais sindicais para fortalecer a luta contra a reforma da Previdência, em defesa da CLT, da Justiça do Trabalho e pelo fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Comitiva da Assufrgs no ato do Dia Nacional de Luta e Mobilização da Classe Trabalhadora

O ato contou com trancaço da avenida Assis Brasil e falas pelo fora Temer e contra os ataques aos trabalhadores. O coordenador-geral da ASSUFRGS Frederico Bartz falou em nome do sindicato, reforçando a relevância dos serviços públicos para a população e a importância das instituições de ensino, que devem estar a serviço da superação do atraso científico e cultural do povo.

A hora é de unificar a categoria e toda a classe trabalhadora! O governo ilegítimo e golpista está aos poucos tirando os direitos dos trabalhadores, enquanto a situação política instável também reflete dentro das IFES. A comissão de mobilização irá nos próximos dias se reunir e dabater as definições para a greve de operação padrão e como a categoria pode se unir na luta nacional contra a retirada de direitos.

O estado de greve está mantido! A partir do dia 24 de agosto, técnicos irão realizar somente expediente interno em seus setores nas quartas-feiras! Não ao login e pela aprovação dos planos de flexibilização! Por negociação já!

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também