Início > Notícias > Plenária aprova greve da Fasubra, Assufrgs se abstém
Plenária aprova greve da Fasubra, Assufrgs se abstém

Deflagração de greve da Fasubra para 17 de março com eixos específicos divergiu do entendimento manifesto nas duas últimas assembleias da Assufrgs de greve unificada dos SPFs por data-base. Nova assembleia deverá ser espaço de deliberação da categoria.

 10/02/2014

A Plenária Nacional da FASUBRA, realizada no Hotel San Marco em Brasília nos dias 08 e 09 de fevereiro, tendo como pauta o indicativo de greve, teve a participação de 39 entidades e 161 delegados. A delegação da Assufrgs foi composta pelos delegados eleitos em Assembleia Igor Pereira, Mariana Brose e Rafael Berbigier. Estavam presentes ainda pela FASUBRA as diretoras Rosane Souza, também coordenadora geral da Assufrgs, e Maria Antonieta Cossio Xavier, Coordenação de Educação Política e Sindical da Assufrgs.

Balanço dos Informes de Base

Foram credenciados 161 delegados que representaram 39 entidades. Dessas, 24 votaram a favor da greve, 7 votaram contra o movimento paredista, 6 manifestaram-se sem decisão e houve 1 abstenção. O informe da Assufrgs apresentado pelo delegado Rafael Berbigier afirmou a decisão da assembleia por greve unificada do serviço público federal, tendo por eixo data-base e política salarial permanente. Foi apresentado ainda a moção de apoio a greve dos rodoviários, Correios e Saúde.

Informes de Direção

Reunião com governo e troca do Ministro de Educação
O primeiro informe deu conta de que reunião realizada do governo com os SPFs dia 05 de fevereiro foi pouco produtiva porque o governo considera “tudo normal”, não havendo motivo para reivindicações do funcionalismo, e os SPFs priorizaram suas pautas específicas em detrimento do eixo geral de data-base e política salarial permanenente. Foi comentado também que com a troca do Ministro da Educação, que agora é José Henrique Paim Fernandes, a Secretaria de Educação Superior (SESU) ficou de encaminhar reunião entre MEC e Ministério do Planejamento com FASUBRA. Não há resposta concreta do governo em relação aos Grupos de Trabalho frutos do acordo de greve de 2012 e não há data para reunião com novo ministro de educação e FASUBRA.

Governo apresentará Plano de Capacitação para dirigentes de RH das IFES com participação da FASUBRA
Dando continuidade, foi informado que dia 18 de fevereiro haverá reunião do MEC com todos os gestores de recursos humanos ou gestão de pessoas das Universidades em Brasília para explanar o Plano Nacional de Capacitação, onde será enfatizado que o mesmo não exime as Universidades de elaborarem seus próprios planos de desenvolvimento dos servidores. A reunião do MEC com os gestores deve ter a presença da FASUBRA. Ficou marcada para dia 20 de fevereiro Encontro da Comissão Nacional de Supervisão da Carreira (CNSC).

Delegação da Assufrgs na Plenária

Organização sindical no Serviço Público
A respeito de organização sindical, foi informado que de 10 a 28 de fevereiro ocorre o prazo para os sindicatos ajustarem a mudança de sistema de desconto em folha da contribuição dos filiados. Foi alertado que se esse procedimento não for feito corretamente, pode implicar em corte da arrecadação dos sindicatos. A Fasubra se colocou a disposição a audar no que for preciso para auxiliar as entidades de base. Em relação ao registro sindical, a Fasubra tem acompanhado esse processo de registro das entidades de base. Foi criado no Ministério de Trabalho o Conselho de Relações de trabalho e no seu interior a câmara de normatização das relações de trabalho do serviço público. Nessa câmara, está se debatendo a forma de financiamento do sindicatos de serviço público. A Direção sugere a construção de um momento de debate específico sobre esse tema, para evitar supresas desagradáveis decorrentes de medidas normativas do governo.

Informes sobre a greve
A Direção da FASUBRA pronunciou-se reconhecendo as limitações da construção de uma greve unificada do serviço público federal. Considerando essas limitações, apontou para o dia 17 de março como data de deflagração de greve da Fasubra, portanto isolada dos SPFs que não tem indicativo de greve. Apontou ainda o dia 20 como dia nacional de paralisação e dia 26 de março como Dia Nacional de Marcha. A decisão foi aprovada pela maioria dos delegados presentes, tendo abstenções das entidades de Porto Alegre, Minas Gerais, Bahia e contrariedade de Pelotas, Santa Maria e Paraíba. Veja a íntegra da nota lida na Plenária:

Os delegados e delegadas presentes na Plenária da FASUBRA realizada nos dia 08 e 09 de fevereiro de 2014 resolvem intensificar o calendário de mobilização e definir a deflagração da greve nacional dos trabalhadores técnico-administrativos das Universidades a ocorrer em 17 de março, tendo a centralidade nos eixos de nossa pauta específica, sem prejuízo de ações que aprofundem a luta conjunta com outras organizações em torno da pauta mais geral.

Eixos específicas para a greve da FASUBRA

- Aprimoramento da carreira (piso e step apresentando acúmulos da FASUBRA que serão enviados às assembleias);
- Extensão para os técnicos do art. 30 da Lei 12.772/2012, que trata de afastamento para realização de estudos de pós-graduação;
- Ascenção funcional;
- Cumprimento integral dos acordos da greve de 2012;
- Reconhecimento dos certificados de capacitação dos aposentados
- Reconhecimento de realização de cursos de mestrado e doutorado fora do país;
- Cronograma com resolutividade dos GTs (democratização, terceirização, etc…)
- Turnos contínuos com jornada de trabalho de 30h sem redução de salário para manter a Universidade aberta nos três turnos;
- Revogação das orientações normativas em relação a insalubridade;
- Revogação da EBSERH com concurso público no RJU;
- Não a perseguição e crminalização da luta. Democratização já!
- Isonomia e valorização dos benefícios entre os três poderes.
- Liberação para exercício sindical em atividades classistas;
- Ampliação das creches universitárias.

Abstenção da Assufrgs

Os delegados da Assufrgs abstiveram-se do voto acerca da deflagração da greve da FASUBRA, pois o que tinha sido aprovado pela base era greve do conjunto do funcionalismo federal. O entendimento unânime da delegação é que é necessário uma ampla discussão com a categoria sobre a decisão da plenária da Fasubra para decidir adesão ou não a greve com esses eixos específicos. Houve declaração de voto de abstenção apresentado pelo delegado Igor Pereira. A coordenação da Assufrgs deverá reunir esta semana para marcar Assembleia de deliberação sobre essa pauta.

 

Mulheres da Fasubra realizam reunião durante Plenária Nacional

Durante o intervalo de almoço do segundo dia da Plenária, as delegadas presentes ao evento se reuniram e aproveitam a oportunidade aberta pela Coordenação da Mulher Trabalhadora da FASUBRA para debater temas específicos. Entre os principais temas abordados ficaram a necessidade de ampliação e reestruturação das creches universitárias, que foi apresentado e incluído nos eixos da greve da Fasubra. Foi debatido ainda a orientação de que as mulheres procurem os postos de saúde e hospitais para tomar a vacina contra o HPV, a denúncia de um caso de violência contra a mulher sofrido por uma aluna da UFMG pela Polícia Militar e a necessidade de criar planos de ação para as inúmeras bandeiras histórias em defesa das trabalhadoras. A delegada da Assufrgs Mariana Brose participou da reunião, bem como a Coordenadora de Mulher Trabalhadora da Fasubra Antonieta Xavier, e a coordenadora geral da Assufrgs Rosane Souza.

18 comentários para "Plenária aprova greve da Fasubra, Assufrgs se abstém"

  1. Marisane fevereiro 10th, 2014 14:26 pm Responder

    Parabéns aos delegados que representaram ASSUFRGS nesta plenária! Muito bem conduzido voto! Precisamos mobilizar a categoria para participar da Assembleia que decidirá sobre adesão ou não! Penso que essa assembleia deve realizar-se após o carnaval, onde, certamente teremos mais companheiros e companheiras presentes! Saudações sindicais

  2. Anderson fevereiro 10th, 2014 15:26 pm Responder

    Agora sim, database é direito de todos.
    Serviço público padrão FIFA.

  3. Mario Pereira fevereiro 10th, 2014 17:48 pm Responder

    A palavra abstenção esta fora do contexto na realidade o que foi deliberada na assembléia da Assufrgs Sindicato foi greve unificada com todos os SPFs vamos melhorar este titulo.

  4. Igor Corrêa Pereira fevereiro 10th, 2014 18:21 pm Responder

    Justamente porque foi colocado o encaminhamento de greve dos SPFs pela assembleia que a delegação da Assufrgs se absteve. A Plenaria da FASUBRA encaminhou greve da FASUBRA, diferente do encaminhado pela assembleia da Assufrgs. Por isso a abstenção.

  5. Rafael Berbigier de Bortoli fevereiro 10th, 2014 22:04 pm Responder

    O título da matéria pode dar margem, sim, à confusão, pois contém duas informações. Como o próprio Igor havia me dito que era a ideia dele, com a qual concordei, o título ficaria “Plenária Aprova Greve da FASUBRA” e, no resumo, que já vem logo abaixo, viria a informação da abstenção da Assufrgs (que também está no corpo do texto, adequadamente). Ficaria mais adequado e separaria as informações.
    Sim, a nossa abstenção foi correta: seguiu o que foi deliberado na assembleia da ASSUFRGS (greve conjunta dos SPF´s com eixo data base e política salarial), pois os delegados devem ter o compromisso de votar conforme o posicionamento da assembleia (aliás, eu falei isso aqui na assembleia da ASUFRGS)…caso contrário, estariam indo contra o posicionamento da base, contra o posicionamento de quem eles devem representar (o que já ocorreu em outros momentos, infelizmente, né…). A conjuntura, pelo informe que a Direção da FASUBRA apresentou na Plenária, mudou e teremos, portanto, que fazer o debate na próxima assembleia, no que diz respeito à greve da FASUBRA. Vale ressaltar, no informe, também, que a data da deflagração da greve, dia 17 de março, e a proposta de eixo específico para a greve da FASUBRA, apresentadas à Plenária para apreciação, foram consensuais entre os diretores de todas as forças que compõem a Direção da FASUBRA e aprovadas por ampla maioria dos delegados. Abraços

  6. Susana Pineiro fevereiro 11th, 2014 11:00 am Responder

    Não entendi a colocação do colega Igor Pereira, já que, foi decidido em Assembléia a construção de uma greve. Faço minha as palavras do colega Mario Pereira e gostaria de saber se todos os representantes da Assufrgs se abstiveram.

    1. Imprensa fevereiro 12th, 2014 00:48 am Responder

      Sim colega, foi decidido em assembleia a decisão de greve dos SPFs e não greve da FASUBRA. Sim colega, todos os delegados da Assufrgs se abstiveram. Sim colega, conto com sua ajuda para construir uma assembleia forte para debatermos os rumos de nossas reivindicações a partir desse novo cenário.

      Atenciosamente,

      Igor Pereira
      Coordenação de Imprensa da Assufrgs

  7. Antonieta Xavier (Totô) fevereiro 11th, 2014 11:27 am Responder

    Pessoal muita calma nesta hora, a Assufrgs com certeza irá fazer nova assembléia, houve mudança na votação nesta plenária de pauta geral para especifica, a ASSUFRGS só trabalhou com o cenário de pauta geral unificada com os SPFs, conforme orientação da última plenária de dezembro. A direção da Fasubra em reunião nos dias 3 e 4 chegou a conclusão que poderíamos ter uma greve de pauta especifica, DE MANEIRA NENHUMA iremos deixar de continuar lutar por greve em conjunto do funcionalismo federal, unificar os spfs. Quanto ao título usado na matéria deveremos conversar na reunião de coordenação. O momento agora é unir nossas forças e lutar por toda a categoria. Estou de 10 a 21 de fevereiro no plantão na Fasubra.
    Grande abraço e ótima luta a todos, Totô

    1. Rosane Procaska fevereiro 11th, 2014 13:04 pm Responder

      Então tá, deixa ver se entendi. A abstenção da delegação se deu por divergência nos itens que foram levantados como prioridade para a categoria tirada em na última assembléia da Assufrgs.

      1. Eugenio, OFS fevereiro 12th, 2014 11:36 am Responder

        Paz e bem!

        Rosane:

        Nossos delegados sairam daqui
        com orientação de apoiar uma greve
        dos SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS.
        O relato apresentado na Plenária
        e encaminhamento foi de uma greve
        dos SERVIDORES DAS UNIVERSIDADES.
        Esta diferença levou à abstenção.

        1. Eugenio, OFS fevereiro 12th, 2014 13:16 pm Responder


          Já que o site é sobre wordpress
          porque esta configuração de merda?
          quero assinar comentários (receber por email respostas).

        2. Rosane Procaska fevereiro 13th, 2014 10:32 am Responder

          Muito obrigado Eugenio, pela educação ao me responder. Penso que a coordenação está para dirimir nossas dúvidas clara e educada.

  8. Neco fevereiro 11th, 2014 14:11 pm Responder

    Companheiras(os), penso que não devemos nos apegar a falsas polêmicas, a abstenção foi unânime em nossa delegação como bem explicado no corpo da matéria que trás a informação. Para os que estão participando de nosso debate desde o fim de 2013, e acompanhando as deliberações coletivas não há pq se confundir…Aprovamos em duas assembleias consecutivas construção da greve conjunta dos SPFs por data base e política salarial, o quadro q se apresentou na plenária foi outro… a greve conjunta parece estar descartada…a maioria das entidades de base presentes à plenária e a direção da Fasubra estão propondo greve só dos TAEs das IFEs pela pauta elencada no relato
    …temos que rediscutir, simples assim.

  9. Antonieta Xavier fevereiro 12th, 2014 10:33 am Responder

    Tentando ajudar: quando se faz uma assembleia, que foi conforme alguns relatos unânime, para deliberar por uma pauta os delegados eleitos tem que votar conforme deliberação. Neste caso, o que foi votado na assembléia da ASSUFRGS, greve unificada com os SPFs por data base e politica salarial. A abstenção dos delegados da ASSUFRGS foi correta, pois como já expliquei anteriormente a pauta votada na Plenária da Fasubra foi pauta espeficica e esta não tinha sido deliberada na assembleia de nosso sindicato (ASSUFRGS).
    A greve por pauta especifica é dos TAEs das IFES da Fasubra, ressalto porque o SINASEFE tem na sua base TAEs das IFES.
    Não está descartada a unificação com os SPFs e continuaremos a lutar pela pauta geral (data base, politica salarial, beneficios entre outros), mas está pauta depende da unificação com o serviço público federal.
    Temos reunião marcada com o Fórum dos SPFs dia 18 de fevereiro.
    abraços

  10. Rosane Souza fevereiro 12th, 2014 14:44 pm Responder

    Resumindo o embólio, realizaremos outra assembléia para avaliar o novo cenário apresentado pela Fasubra e consecutivamente se iremos ou não aderir conjuntamente o movimento paredista.

  11. Marisane fevereiro 12th, 2014 19:50 pm Responder

    …E além de não ser uma greve dos SPF’S, não tem na pauta o que queremos que é Data-base e política salarial! Isso é pauta de greve! Precisa desenhar??????

  12. Walmir Jacaré Penedo fevereiro 13th, 2014 14:41 pm Responder

    Perai, deixa ver se eu entendi direito: quer dizer, que estamos entrando em greve, por que o governo, não cumpriu o acordo da última greve em relação aos GT’s?

    Pera lá, as reuniões dos GT’s pelo que sou informado estão acontecendo.

    Com essa greve nós vamos mudar a constituição? pois ascensão funcional e ponto constitucional né?

    Quanto aos turnos contínuos, como vamos fazer? A faculdade de letras vai funcionar 24 horas? ou este tal turno so serve pros hospitais?

    Também sou contra a tal EBSERH.

    Detesto quem persegue trabalhador.

    É vamos ter uma greve poderosa.

  13. ana fevereiro 17th, 2014 10:22 am Responder

    Por favor nao esquecam dos aposentados nas reivindicacoes, visto que os processos relativos ao reenquadramento no nivel por ocasiao da aposentadoria foi alterado e ate o momento nao houve nenhuma solucao. queremos voltar ao nivel em que estavamos aposentados, ou seja final de carreira. caso nao sejam resolvidos os problemas pendentes, junto a administracao da UFRGS, e ou ao MEC nao vejo motivo para continuarmos filiados a ASSUFRGS, temos que sentir que nossos interesses estao sendo colocados nas pautas das solucoes. obrigada

Deixe seu comentário

Veja também