Início > Notícias > Senadores apelam ao governo pelo fim da greve nas universidades
Senadores apelam ao governo pelo fim da greve nas universidades

Os parlamentares solicitam que o governo atenda às reivindicações das categorias em greve

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) manifestou apoio à greve de professores e técnico-administrativos das universidades federais e apelou para que o governo negocie com as categorias que estão paralisadas há 39 dias. Em discurso no plenário de Senado, nesta quarta-feira (27), ela pediu mais compreensão do governo para negociar a pauta de reivindicações dos professores e demais servidores que participam do movimento.

 E destacou que deputados, senadores e a Frente Parlamentar em Defesa da Universidade Pública Gratuita também podem contribuir para a resolução do impasse. O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) também apelou ao governo federal, para que seja apresentado o mais rápido possível uma proposta de plano de carreira para os professores das universidades federais, bem como para os funcionários dessas instituições.

 Citando o impacto da greve, que afeta mais de um milhão de estudantes, a parlamentar também lembrou do apoio dos estudantes às reivindicações de docentes e técnico-administrativos, e comunicou que encaminhou a Comissão de Educação do Senado um Requerimento solicitando uma audiência pública com os Ministérios da Educação e do Planejamento e as categorias em greve “porque a reivindicação deles é justa”, afirmou. E disse ainda que “falta muito pouco para que a negociação seja viabilizada, para as universidades não apenas voltarem a sua rotina normal, mas com essa negociação fazer com que o Ensino Superior se fortaleça enormemente em nosso país”.

 Suplicy explicou que o objetivo da greve é reivindicar carreira única com incorporação de gratificações em 13 níveis remuneratórios, variação de 5% entre níveis a partir do piso para regime de 20 horas correspondente ao salário mínimo do Dieese (atualmente calculado em R$ 2.329,35) e percentuais de acréscimo relativos à titulação e ao regime de trabalho.

 Segundo o petista, “num país em crescimento como o Brasil, onde existe uma enorme carência de profissionais qualificados nas áreas técnicas, é de fundamental importância termos professores bem pagos e motivados para exercício de suas funções”, disse ele.

 Suplicy sugeriu, inclusive, que o teto remuneratório do serviço público nacional deveria ter como base, não os vencimentos de ministro do Supremo Tribunal Federal, mas sim o salário dos professores, por serem estes, em sua opinião, os verdadeiros suportes de crescimento do país. E Vanessa disse ainda apoiar a reivindicação da comunidade acadêmica de investimentos de, no mínimo, 10% do Produto Interno Bruto (PIB) na área da educação.

 Da Agência Senado, com adaptações da Redação AssufrgS

Randolfe Rodrigues se solidariza com professores em greve
Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) manifestou solidariedade aos professores e funcionários das universidades públicas federais, em greve desde 17 de maio. O senador lamentou os baixos salários dos docentes, ao ressaltar a importância estratégica da educação.
— Hoje um professor universitário de qualquer país europeu recebe, no começo da carreira, dez vezes mais que qualquer professor universitário no Brasil — disse.
Para ele, a falta de valorização dos profissionais de ensino causa desmotivação e carência de professores.

http://www12.senado.gov.br/noticias/jornal/edicoes/2012/06/19/randolfe-rodrigues-se-solidariza-com-professores-em-greve

Cristovam faz apelo a entendimento pelo fim da greve dos professores de universidades federais
http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/06/26/cristovam-faz-apelo-a-entendimento-pelo-fim-da-greve-dos-professores-de-universidades-federais

 

 

 

Este post ainda não foi comentado. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário

Veja também