Início > Notícias > Servidores em greve realizam assembleia e panfletagem à comunidade
Servidores em greve realizam assembleia e panfletagem à comunidade

TAES em greve da UFRGS, UFCSPA e IFRS-POA repassaram informes do Comando Nacional de Greve da FASUBRA e contaram com a presença do Sintrajufe, o qual fez chamado para construção do Dia de Luta Unificada dos SPF’s

Os servidores da UFRGS, UFCSPA e IFRS-POA em greve realizaram assembleia na manhã desta quarta (26), entre a Reitoria e o Salão de Atos da UFRGS. Na assembleia, foram repassados informes nacionais (que pode ser lido clicando aqui) da FASUBRA e das Unidades em greve. Foi informado que os trabalhadores de Hospitais e Pronto-Atendimento de Porto Alegre estão em estado de greve, e entraram em paralisação por dois dias, na manhã desta quarta, por legislação municipal que regulamente o índice de insalubridade de 40% para todos os servidores da saúde; a jornada mensal máxima de 12 plantões; a adequação do número de trabalhadores às necessidades do serviço, com a nomeação dos aprovados no concurso e a criação de cargos; e as condições de trabalho na saúde.

A assembleia contou com a participação dos diretores do Sintrajufe-RS, que realizaram saudação aos grevistas da UFRGS, UFCSPA E IFRS-POA. O diretor do Sintrajufe-RS Cristiano Moreira propôs aos grevistas da ASSUFRGS o Dia de Luta Unificada, a ser realizado no próximo dia 9 de abril, em conjunto com as demais categorias do serviço público federal. Cristiano chamou, ainda, para reunião do Fórum dos SPF’s, que será realizada amanhã (27), às 10h, no Sintrajufe.

 

Ao fim da assembleia, os servidores votaram  com unanimidade pela continuidade da greve na UFRGS, UFCSPA e IFRS-POA, com apenas três abstenções. Após, seguiram em grupos para as imediações do Campus centro da UFRGS, e realizaram panfletação à comunidade, explicando as reivindicações dos TAES nos pontos de ônibus, sinaleiras e RU centro.

 

 

Nota sobre o seminário de pauta interna

As discussões relativas ao seminário de pauta interna, realizado no último dia 25, serão encaminhadas para divulgação após sistematização do Comando Local de Greve.

 

 

 

27 comentários para "Servidores em greve realizam assembleia e panfletagem à comunidade"

  1. Eugenio, o Ogro, OFS março 26th, 2014 14:37 pm Responder

    Paz e bem!
    .
    Não há como negar que havia mais presentes
    do que no horário marcado (9 horas) –
    cf. fotos das 9h: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Ufrgs_2014-03-26_00.JPG
    https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Ufrgs_2014-03-26_01.JPG
    https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Ufrgs_2014-03-26_02.JPG
    https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Ufrgs_2014-03-26_03.JPG
    ou do que no horário da segunda chamada (9h30min) –
    cf. fotos das 9h30min: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Ufrgs_2014-03-26_04.JPG
    https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Ufrgs_2014-03-26_05.JPG
    https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Ufrgs_2014-03-26_06.JPG
    https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Ufrgs_2014-03-26_07.JPG –.
    .
    Mas é sintomático que não informem sequer
    quantos pelo menos passaram para asinar a presença.

    1. Luther Blisset março 26th, 2014 16:45 pm Responder

      Pra que tanta disposição em desqualificar o movimento da própria categoria?
      A assembléia começou um pouco atrasada, mas foi muito positiva, assim como a distribuição da carta aberta.
      Está no seu direito quem não quer aderir à greve, agora torcer e até contribuir pra que seja infrutífera…
      No mais, estamos fortalecendo a greve.

  2. Lislaine K. março 26th, 2014 16:03 pm Responder

    Alguém pode me informar qual é o percentual de servidores em greve? Porque, tirante o Protocolo, me parece que os demais setores da Universidade estão funcionando normalmente!

    1. Jorge Torres março 27th, 2014 21:57 pm Responder

      Lisiane K., infelizmente hoje, a universidade possui um grande número de trabalhadores terceirizados, bolsistas e colegas servidores que recebem incentivos em forma de bolsa. Alguns setores inclusive, o número de terceirizados e bolsistas chega a ser superior ao de servidores. Estas, são razões ou motivos pelos quais setores e ou departamentos da UFRGS não fecham suas portas. Mas devemos continuar essa luta, pois somente ela pode nos garantir alguma coisa.

  3. Mario março 26th, 2014 16:19 pm Responder

    Mas porque o dito cujo não ficou para ASSINAR a lista de presença e assim ver quantas pessoas tinham na assembleia,eu sei mas como menino maroto não vou te dizer ,em vez de ficar agarrado no do governo vem pra luta camarada realmente não creio que você esta satisfeito dos TAEs ter o menor piso salarial da categoria SPFs.

  4. Jorge Torres março 26th, 2014 17:16 pm Responder

    Em primeiro lugar, “Eugênio, o Ogro”, esse é seu pseudônimo, nome de guerra ou seja lá o que for. quero começar pelo fim do seu comentário.
    1. Consultando a lista de presença da assembleia geral, 150 servidores assinaram a respectiva lista de presença;
    2. Portanto não haviam somente 4 ou 6 pessoas;
    3. Acredito que você tenha estado em outra assembleia ou quero crer que deva ter tido um compromisso muito urgente, inadiável, para não ter participado da assembleia, pois nas inúmeras fotos que foram tiradas você não aparece nas imagens e nem tão pouco na atividade de panfleteação ocorrida após o término da assembleia;
    4. A propósito, verifiquei que você não assinou a lista de presença da assembleia, o que aumentaria o número de presentes na atividade, mas acredito que você deveria estar muito preocupado em registrar as imagens postadas acima e divulgá-las, com o firme propósito de desconstruir o movimento paredista e espalhar no meio da categoria, ou tentando pelo menos, boatarias e inverdades. Você deveria no mínimo ter ficado até o final da assembleia, para poder na hora de votar pelo fim ou continuidade da greve, mostrar a sua cara e manifestar-se contra, ao invés de ficar escondendo-se atrás de fotos que não demonstram a realidade dos fatos e textos irônicos e claramente com intenção de sabotar o movimento paredista.

    1. Eugenio, o Ogro, OFS março 26th, 2014 19:20 pm Responder

      Paz e bem!
      .
      Jorge Torres:
      .
      1 O número de 150 assinaturas não foi mencionado na matéria,
      mas na Assembleia anterior, dia 20,
      foram 164 votantes,
      assim esta foi menor que a última.
      .
      2 Eu não disse que tinha 4 ou 6 pessoas,
      fotografei o local da Assembleia
      no horário da 1ª chamada
      e da 2ª chamada
      e reconheci, logo de início,
      que tinha mais pessoas
      do que fotografei nestes horários.
      .
      3 Tive aula, pois tb sou aluno de graduação.
      .
      4 Entendi que meu voto não foi considerado
      na Assembleia que deflagrou a greve,
      pois solicitei contagem de votos
      e isto foi, malandramente, negado.

  5. batista março 26th, 2014 20:29 pm Responder

    Acho que as vezes é melhor anda sozinho do que mal acompanhado
    Se não vai ajuda a construir então não atrapalhe
    Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar.
    William Shakespeare

  6. Víctor março 26th, 2014 23:58 pm Responder

    Parabéns, Eugenio, por se levantar contra essa liderança sindical falha.
    Você fala por muitos de nós. E O FUNDO DE GREVE? Ninguém responde.

    1. Eugenio, o Ogro, OFS março 27th, 2014 21:38 pm Responder

      Paz e bem!
      .
      Victor:
      .
      Só não devemos esquecer
      que por norma estatutária
      a Coordenação da AssufrgS
      é composta proporcionalmente
      à votação de cada chapa.

  7. Rubens Silva março 27th, 2014 11:41 am Responder

    As fotos são muito tendenciosas pois o colega sabe mais do que todos que NUNCA uma Assembléia da ASSUFRGS iniciou no horário marcado.

    Aliás não vi o voto do colega contra a greve no momento em que o Comando colocou em votação, apesar de terem havido 3 abstenções.

    Você não concorda com a greve é simples levante a bunda da cadeira e vá na Assembléia e vote contra a paralisação, não fique no conforto do seu local de trabalho desestabilizando o movimento, vá às Assembléias e vote, não adianta você ficar falando que essa greve é de vagabundos, você tem que ir e votar contra.

    Se a pauta é ruim e não te representa, ou não é o momento de parar, VÁ NA ASSEMBLÉIA E VOTE CONTRA!

    1. Jorge Torres março 27th, 2014 21:41 pm Responder

      É isso aí Rubens Silva! O “Sr. Ogro” sabe muito bem disso tudo. Quanto ao voto, realmente ele não votou aliás, ele nem sequer assinou a lista de presença da assembleia. Estava muito preocupado em tirar as fotos tendenciosas e publicar na tentativa de desqualificar o movimento. Ele deveria ter ficado até o final para declarar seu voto contra. Mas saiu sorrateiramente!!!

  8. Luther Blisset março 27th, 2014 12:24 pm Responder

    Sr. Ogro, pra que tanta disposição em desqualificar o movimento?

  9. Jonatas março 27th, 2014 12:25 pm Responder

    aqui no CPD estamos todos #FechadoComOgro

    1. Luther Blisset março 27th, 2014 18:01 pm Responder

      Vai ver no CPD todos ganham algo a mais, por isso são contra a greve (como aliás sempre foram).
      Caso contrário, só a Síndrome de Estocolmo explica.

      1. Jorge Torres março 27th, 2014 21:47 pm Responder

        Realmente Luther Blisset, Muitos servidores hoje na universidade ganham um plus a mais (bolsa) e por essa razão, não aderem a greve. Eles acham que quando se aposentarem vão levar a bolsa com eles. Deveriam estar lutando para melhorar o salário e por reposição salarial. Você tem razão, “somente a Síndrome de Estocolmo explica”.

      2. Eugenio, o Ogro, OFS março 28th, 2014 09:41 am Responder

        Paz e bem!
        .
        Luther:
        .
        Sindrome de Estocolmo???
        Ou seja:
        Já que o Jonatas do CPD
        não compactua com a loucura
        ele é louco.

      3. José eduardo março 28th, 2014 15:19 pm Responder

        Aliás onde estavam os colegas do CPD para votarem contra a greve na assembleia, não vão me dizer que tiveram outra reunião na “porta dos fundos”?

    2. Paulo Santos abril 4th, 2014 11:37 am Responder

      Sempre ouvi falar que recebiam para dar aqueles cursos de capacitação em informática. Caso verdade então realmente não faz sentido greve, receber salários e mais adicional ao dar cursos é uma situação diferenciada mesmo. Muitos criticam a classe política, porém quando podem fazem igual, resolvem seu lado e os outros que danem-se.

  10. Marina março 27th, 2014 13:03 pm Responder

    Ao participar da construção da greve, deflagrada no último dia 27, estamos ajudando a construir um grande movimento dos servidores federais. É no espaço democrático da Assembleia que temos a oportunidade de discutir e aprofundar a pauta de reinvidicação, de nos inteirarmos e nos informarmos melhor sobre o porquê dessa greve.

    Também é nesse espaço que estamos discutindo a saúde no trabalho, as condições e melhorias, as pautas internas, a luta pela jornada de trabalho de 30 horas semanais (pelo atendimento de qualidade e ininterrupto), as posições do Governo, as propostas de pauta unificada (que foram exutas pelo Comando local de greve hoje, dia 27, e serão levadas ao Reitor. Enfim, vamos falar sobre a greve no espaço da greve!

    Aderi ao movimento desde a última Assembléia e fui às ruas panfletear, entregamos a carta aberta à sociedade. Heis que tive a temperatura de como boa parte da sociedade está: gélida, pálida e desnutrida de interesse pelos movimentos sociais. Recebi olhares de desdenho dos próprios estudates de nossa Universidade (viram que era um folheto da ASSUFRGS e nem se interessaram). Muitos motoristas, aos quais também entregamos a carta, nem baixaram seus vidros e não receberam a carta. PORÉM alguns tantos outros receberam-na, agradeceram e se interessaram. É por estes, nos quais a temperatura é humana, que entro em greve. Acredito que todos que estão em seus carros querem que seus filhos estudem na UFRGS, preferencialmente. E os alunos querem um ensino de qualidade e gratuito. Portanto, quem quer ficar alheio à situação atual é que acaba perdendo.

    Respeitamos a todos, aos que não vão parar e aos que pretendem aderir e ajudar a aumentar a mobilização, pois a UFRGs é pioneira também nisso, em iniciar as greves e se expor, para que o apoio vá se construindo.

    Na Assembleia de ontem, o diretor do Sintrajufe-RS Cristiano Moreira propôs aos grevistas da ASSUFRGS o Dia de Luta Unificada, a ser realizado no próximo dia 9 de abril, em conjunto com as demais categorias do serviço público federal. Cristiano chamou, ainda, para reunião do Fórum dos SPF’s, que será realizada amanhã (27), às 10h, no Sintrajufe. Vinte e seis Universidades Federais já estão em greve.

    Vamos valorizar nossa categoria, que sempre está na base do trabalho, auxiliando nas decisões, nos encaminhamentos e muitos se qualificando para melhorar o dia-a-dia da Universidade.

    Precisamos participar mais, ir às Assembleias (e lá votarmos pela continuação ou não da greve).

    1. Jorge Torres março 27th, 2014 22:00 pm Responder

      Marina
      Perfeito o teu comentário, a tua observação!!!
      Concordo contigo.

  11. Lavinia Faccini março 27th, 2014 19:59 pm Responder

    Eu vi a carta a comunidade, mas acho que precisa explicar porque a jornada de 30 horas. Fica dificl para o trabalhador que recebe o panfleto na parada de onibus entende (pois a carta nao explica) porque a jornada de 30 horas quando a maioria dos trabalhadores brasileiros faz jornada de 40 horas (ou 44). Alem disto o salario de um tecnico de nivel medio da UFRGS é praticamente o dobre de um tecnico administrativo da PUC ou da Unisinos.
    Desta forma, sugiro fortemente escrever novamente o panfleto explicando estes detalhes. Sem isto, claro que a recepcao sera fria da comunidade. Nao por falta de humanidade, mas porque sentem falta de solidariedade dos funcionarios publicos. Ou seja, os funcionarios publicos, que sao pagos pelos demais trabalhadores, sao vistos como receptores de privilegios que nao sao dos trabalhadores em geral. Ou seja, uma elite privilegiada.

  12. Lavinia Faccini março 27th, 2014 20:03 pm Responder

    Em adicao ao comentario anterior, 30 horas nao sao solucao para o atendimento ininterrupto e de qualidade. Nao temos como contratar mais funcionarios. Ou seja, melhor trabalhar 40 horas do que 30. A conta nao fecha. Nao precisa plantao de 6 horas, basta fazer um escalonamento e teremos horarios adequados para os alunos.

  13. Eduardo março 27th, 2014 22:01 pm Responder

    Será que algumas “lideranças” que foram na assembléia e votaram a favor da greve e estão trabalhando não tem vergonha na cara?

    1. Sandra Belinaso março 28th, 2014 13:39 pm Responder

      Não quero acreditar que lideranças presentes na assembleia estão trabalhando.
      Seria um golpe duro de mais nesse movimento já enfraquecido por denúncias.

  14. Eduardo março 28th, 2014 22:18 pm Responder

    Passe em algumas faculdade e você vai ve Sandra! Inclusive pessoas que aparece em fotos com o braço alevantado

  15. José C. março 31st, 2014 08:42 am Responder

    Muitos chefes estão tentando desqualificar o movimento, criticando a greve, dizendo que está fraca, que ninguém aderiu, etc. Alerto os servidores que recém entraram na universidade que a adesão à greve não deve set considerada na avaliação do estágio probatório. Aconteceu comigo e a mesma foi anulada. Lutem contra o assédio moral e contem, caso passem por isso, ao maior n° pessoas possível, pois estão protegidos por lei e amparados pela ASSUFRGS.

Deixe seu comentário

Veja também