Início > Notícias > Pesquisa da Unesco: Salário do professor no Brasil é o 3º pior do mundo
Pesquisa da Unesco: Salário do professor no Brasil é o 3º pior do mundo

É o que mostra pesquisa feita em 40 países pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) divulgada ontem, em Genebra, na Suíça. A situação dos brasileiros só não é pior do que a dos professores do Peru e da Indonésia.  Um brasileiro em [...]

É o que mostra pesquisa feita em 40 países pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) divulgada ontem, em Genebra, na Suíça. A situação dos brasileiros só não é pior do que a dos professores do Peru e da Indonésia.

 Um brasileiro em início de carreira, segundo a pesquisa, recebe em média menos de US$ 5 mil por ano para dar aulas. Isso porque o valor foi calculado incluindo os professores da rede privada de ensino, que ganham bem mais do que os professores das escolas públicas. Além disso, o valor foi estipulado antes da recente desvalorização do real diante do dólar. Hoje, esse resultado seria ainda pior, pelo menos em relação à moeda americana.

 Na Alemanha, um professor com a mesma experiência de um brasileiro, ganha, em média, US$ 30 mil por ano, mais de seis vezes a renda no Brasil. No topo da carreira e após mais de 15 anos de ensino, um professor brasileiro pode chegar a ganhar US$ 10 mil por ano. Em Portugal, o salário anual chega a US$ 50 mil, equivalente aos salários pagos aos suíços. Na Coréia, os professores primários ganham seis vezes o que ganha um brasileiro.

Com os baixos salários oferecidos no Brasil, poucos jovens acabam seguindo a carreira. Outro problema é que professores com alto nível de educação acabam deixando a profissão em busca de melhores salários.

O estudo mostra que, no País, apenas 21,6% dos professores primários têm diploma universitário, contra 94% no Chile. Nas Filipinas, todos os professores são obrigados a passar por uma universidade antes de dar aulas.

A OIT e a Unesco dizem que o Brasil é um dos países com o maior número de alunos por classe, o que prejudica o ensino. Segundo o estudo, existem mais de 29 alunos por professor no Brasil, enquanto na Dinamarca, por exemplo, a relação é de um para dez.

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o salário médio do docente do ensino fundamental em início de carreira no Brasil é o terceiro mais baixo do mundo, no universo de 38 países desenvolvidos e em desenvolvimento. O salário anual médio de um professor na Indonésia é US$ 1.624, no Peru US$ 4.752 e no Brasil, US$ 4.818, o equivalente a R$ 11 mil. A Argentina, por sua vez, paga US$ 9.857 por ano aos professores, cerca de R$ 22 mil, exatamente o dobro. Por que há tanta diferença?

Fonte: www.diariodaclasse.com.br

3 comentários para "Pesquisa da Unesco: Salário do professor no Brasil é o 3º pior do mundo"

  1. Maria Ivete Becker janeiro 14th, 2012 17:30 pm Responder

    O que se pode dizer desta calamidade? Isto demonstra quão pouco vale esta profissão, que chega a ser um Sacerdócio! É vergonhoso! É desestimulante! Inibidor de tudo o que deveria ser colocado em favor da melhoria da Educação e Ensino no país! E aqui no RS< vem um Gov. entrando de "sola"com mudanças que nada tem a haver com as prioridades na área. Triste! Desesperador! São vidas que se esvaem num esforço sobrehumano para salvar-se um pouco da dignidade do magistério. Não sei o que posso fazer! Qual o meu papel nesta realidade de total imobilidade social? O entorpecimento das mentes, a falta de visão e/ou visão tendenciosa, de objetivos ainda mais exdrúxulos, exógenos à nossa cultura, nos levam ao abismo total: Total dependência a Ditadores, Malfeitores e Bandidos. Às vezes sinto-me sem ar, de tanta angústia, gerada pela conciência do mal a nos rodear, ávido de nossas melhores virtudes e riquezas: Soberania-Autonoia e Dignidade-Liberdade.

  2. Prof. Manoel Ignácio janeiro 14th, 2012 21:43 pm Responder

    Passou da hora de mudar esta situação em nosso país, o pior é que isto reflete na ponta com o que os alunos estão aprendendo afinal de contas ganhando pouco o professor trabalha desmotivado e isto desemboca naturalmente em uma educação de péssima qualidade.

  3. Luciana Torres janeiro 15th, 2012 13:53 pm Responder

    Fato é que se temos 1 professor pra mais de 28 alunos é porque os jovens, ao escolher que carreira seguir verificam também o salário de tal carreira. Se temos poucos professores é porque o salário é injusto, vergonhoso, e justamente por um professor muitas vezes ter que dar aulas pra um número muito superior de alunos dentro de uma classe é que ele deveria ser ainda mais valorizado do que o justo (que não é pago). Se o governo valorizar a profissão, talvez tenhamos mais jovens buscando a carreira e consequentemente alunos mais bem distribuídos em sala de aula.

Deixe seu comentário

Veja também